Participante do 'Jogo de Panelas' pede desculpas por blackface no 'Mais Você'

Competidor assumiu o erro e disse que o racismo deve ser combatido de forma intolerante

Escrito por Redação,

Zoeira
Anderrupson
Legenda: Anderrupson pediu desculpas por ato racista no Mais Você
Foto: Reprodução TV Globo

Durante o "Mais Você" desta segunda-feira (23), o participante do Jogo de Panelas Anderrupson pediu desculpas ao vivo por ter feito blackface no jantar de um dos competidores. O caso foi exibido na última sexta-feira (20) e Ana Maria chegou a interromper o VT para chamar atenção ao problema. As informações são do gshow

"Bom dia, Brasil. Gostaria de aproveitar o espaço hoje para me desculpar com todos vocês. Pratiquei blackface sem o mínimo conhecimento do que estava praticando. Não vim aqui me vitimizar, pois não sou a vítima, fui agressor, inconsciente, mas fui", disse Anderrupson na final da disputa, com todo o elenco reunido.

O participante disse se solidarizar com todas as vítimas de racismo no mundo, destacando que a prática deve ser combatida de forma intolerante. 

"Você que me assiste agora, não permita nenhuma prática racista em sua casa, evento, ou qualquer outro local. Pergunte se a pessoa tem conhecimento de qualquer ato racista e mesmo assim quiser justificar, coloque-o porta para fora. Não deixe o racismo entrar".

Entenda o caso

O episódio aconteceu em meio à competição de culinária do programa, quando Anderrupson apareceu no jantar do anfitrião Felipe, com o rosto pintado para imitar uma pessoa negra. O tema do jantar era "Um passeio pela África com toque de brasilidade", em homenagem à África. 

“Ele (Anderrupson) estava muito legal, mas trouxe mais uma vez a ingenuidade. Não precisa se pintar de ser negro... A gente tem toda uma história. A gente não brinca de ser negro, a gente é negro”, disse Felipe, na ocasião. 

Depois da exibição do caso, Ana Maria Braga interrompeu a transmissão para complementar a fala de Felipe, reforçando o porquê de não fazer blackface.

Além disso, Ana Maria convidou a especialista em negritude, Rosane Borges. A professora e jornalista detalhou que a prática do blackface surgiu no século 19 nos Estados Unidos. "Um recurso muito utilizado pela aristocracia escravagista, que fazia da técnica uma forma de estereotipar e negar a humanidade das pessoas negras”, detalhou.

“Não devemos fazer sob nenhuma hipótese, é preciso que a gente avance enquanto humanidade. É preciso que se diga não a uma técnica tão cruel e violadora”.
Rosane Borges
Professora

Ana Maria Braga ainda voltou a criticar a prática após a fala de Rosane. “Esse esclarecimento faz parte da essência do nosso programa e é bom para todo mundo aprender. Tem muita gente que não percebe ainda, mas já está na hora. É um comportamento que não deve se repetir”, concluiu.

Defesa 

Após a repercussão, o competidor do reality chegou a se pronunciou por meio das redes sociais, negando a prática de blackface. Ele se defendeu dizendo que não é racista, pois sua esposa é negra. 

“A própria Ana Maria Braga caiu nesse erro em 2018 utilizando uma peruca black power. Gente, não foi minha intenção, jamais faria isso para magoar alguém, sou casado com uma mulher negra. Perdão, gente, desculpa, não foi minha intenção. Perdão mesmo”, finalizou.

Anderrupson ainda lembrou quando Ana Maria e Louro José usaram uma peruca black power homenagear a causa racial.