Cearense Faela Maya cria webnovela de casos do Interior e supera 35 mi de visualizações no YouTube

Com monetização de vídeos, atores recebem até cachê

Atores de
Legenda: Produção audiovisual é gravada com um smartphone
Foto: Arquivo Pessoal

No município de Jaguaribe (CE), Rafaela Maia Magalhães — conhecida por Faela Maya na Internet — transformou a casa na qual mora com a mãe em estúdio para gravar a web novela “Pobreza Brasil”. No elenco, amigos e vizinhos contracenam situações típicas do interior, se unindo na produção de 84 vídeos, que já somam 35 milhões de visualizações no YouTube.  

O enredo da produção audiovisual é uma mistura do real e da comédia: conta a história de Tereza, uma mãe solteira que trabalha para sustentar a filha, a pequena e debochada Tronco.  Ao todo, 13 personagens fazem parte da narrativa, que tem como um dos destaques a fala rebuscada dos atores, aliada as expressões do interior do Ceará. “Os personagens nasceram de uma visão bem particular minha, mas adaptei cada um para cada ator”, conta Faela Maya. 

Assista entrevista:

A webnovela ganhou o primeiro episódio em 2019 e, inicialmente, foi criada para o Instagram, passando depois para o YouTube. Faela Maya começou a escrever cenas após deixar o curso de teatro, na Universidade Federal do Ceará (UFC), e a graduação em psicologia em uma faculdade particular de Fortaleza. Sem condições de se manter na Capital para completar os estudos por conta do início da pandemia de Covid-19, a cearense retornou à casa da mãe em Jaguaribe.  

Enredo concreto

Quem assiste “Pobreza Brasil” encontra no enredo as dificuldades do brasileiro, sem esquecer, claro, de muito bom humor ao expor temas como desemprego, bolsa família, fofoca e outros assuntos. Faela Maya explica que possui inspirações em grandes nomes da teledramaturgia brasileira para escrever os capítulos da webnovela, além de estar atenta a nomes de produções colombianas.  

“Em termos de teledramaturgia, me inspiro muito em Ivani Ribeiro, um pouco de Walcyr Carrasco e Agnaldo Silva. Para além da TV, tenho um olhar por Ariano Suassuna, e olho para o trabalho do roteirista colombiano de telenovela Fernando Gaitán”, conta Faela Maya. 

Veja capítulo da webnovela:

Além da webnovela, o canal no YouTube de Faela Maya também conta a série 'Made In Ceará'. Em vídeos curtos, a cearense de 29 anos grava esquetes com temáticas do cotidiano como casos de fofoca, empréstimos de panela, o cobrador de móveis, entre outros assuntos hilários. 

Repercussão  

O esforço parece ter sido recompensado ao visualizar o crescimento de 1.040 seguidores no Instagram para 330 mil. Com o bom número de visualizações e por ser conteúdo autoral, Faela Maya foi além e começou a ganhar renda por meio dos vídeos no YouTube. Com o retorno financeiro, ela obteve o necessário para comprar um smartphone, melhorando a gravação das cenas.  

O elenco também sentiu a diferença. Ivone Maia, Ivonilce Maia, Yslla Maia, Nineide Alves, Pedro Vitor Alves, Talia Ferreira, Joelma Ferreira, Neymar Ferreira, Maria do Socorro de Lima, Maria Helena de Lima e Letícia Pereira, também começaram a ganhar cachê artístico.  

Atualmente, o maior índice de espectadores da novela “Pobreza Brasil” é de Fortaleza, no Ceará, mas também de São Paulo, Rio Grande do Norte e Distrito Federal. “Pretendo um dia acordar com uma mensagem do Netflix: ‘pega um voo e vem para São Paulo’. A gente trabalha para ter essa produção ser reconhecida nacionalmente”, conta Faela Maya.