Seis milhões de doses da vacina CoronaVac chegam ao Brasil em uma semana, diz João Doria

A importação da vacina, que já está pronta contra a Covid-19, foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última sexta-feira (23). O governador de São Paulo fez o anúncio nesta segunda-feira (26)

Coronavac
Legenda: Primeiras doses da vacina CoronaVac contra a Covid chegam em uma semana, diz Doria
Foto: Divulgação/Instituto Butantan

As primeiras seis milhões de doses da vacina CoronaVac, previstas no acordo com o Instituto Butantan, em São Paulo, chegarão ao Brasil em até uma semana, segundo informou o governador de São Paulo, João Doria, nesta segunda-feira (26), durante coletiva de imprensa. 

>> Vacinação contra Covid-19 deve ocorrer até julho de 2021 no Ceará

>> Brasil deve começar a produzir vacina russa contra a Covid-19 em dezembro

>> Covid-19: saiba tudo sobre as principais vacinas experimentais

"As primeiros seis milhões de doses chegarão até segunda em voo a São Paulo. As outros 40 milhões de doses serão produzidos a partir de insumos que ainda esperam manifestação da Anvisa, para que o Butantan possa produzir a vacina", explicou Doria.

A importação da vacina contra a Covid-19, que já está pronta, foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última sexta-feira (23). A aplicação na população, no entanto, ainda depende da conclusão de estudos clínicos e da aprovação final da agência regulatória brasileira.

O acordo entre o Instituto Butantan e a Sinovac, laboratório chinês onde a vacina foi produzida, prevê a aquisição neste mês de seis milhões de doses já embaladas da vacina, além da produção, até dezembro, de outros 40 milhões de doses do imunizante no Brasil. Para a segunda fase, o instituto depende da liberação de importação de insumos da China, o que ainda não foi autorizado pela Anvisa.

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores