Retomando a presença de público, Cineteatro São Luiz exibe o filme “Abraço”

Premiada produção retrata a mobilização de professores por direitos e melhorias na educação. Filme sergipano tinha estreia programada para maio, mas teve a estreia adiada por conta da pandemia

A trilha sonora da obra foi composta por André Abujamra e Eron Guarnieri, com participação do cantor Chico César e execução da Orquestra Filarmônica do Estado de Sergipe.
Legenda: A trilha sonora da obra foi composta por André Abujamra e Eron Guarnieri, com participação do cantor Chico César e execução da Orquestra Filarmônica do Estado de Sergipe.

A volta das atividades presenciais começa gradualmente a fazer parte da programação do Cineteatro São Luiz. Uma estreia nacional demarca este retorno em outubro. Uma das principais salas de cinema do País exibe o filme “Abraço”, de DF Fiuza. As sessões acontecem hoje (16h45) e no próximo dia 29 (às 16h30). 

O longa-metragem foi um dos destaques da última edição do Cine PE - Festival do Audiovisual. A produção levou os prêmios de “Melhor Filme” (Júri Popular), “Melhor Atriz” e “Melhor Trilha Sonora Original”. Antes programado para maio, o longa teve sua estreia adiada por conta da pandemia do novo coronavírus. 

Dramas

Baseado em fatos reais, “Abraço” retrata a mobilização de professores sergipanos em 2008. Naquela ocasião, os docentes travaram uma luta jurídica para evitar a perda de direitos conquistados pela categoria. 

Nesse contexto, somos apresentados à história da professora Ana Rosa (Giuliana Maria), que vive o duplo e intenso desafio de conciliar a vida pessoal e os dramas da profissão. Uma mulher dividida entre a defesa dos direitos enquanto educadora e a intensa rotina doméstica. 

O elenco também conta, entre outros nomes, com Flávio Bauraqui (“Madame Satã”, “Nise - O Coração da Loucura”) e Isabel Santos (“A Ilha da Morte”, Vestido de Noiva). 

Educação

“Abraço” reuniu mais de 500 figurantes reais e outros 80 atores sergipanos. A trilha sonora da obra foi composta por André Abujamra e Eron Guarnieri, com participação do cantor Chico César e execução da Orquestra Filarmônica do Estado de Sergipe. 

Ana Rosa (Giuliana Maria ) vive o desafio de ser mãe e uma voz na defesa pela educação brasileira
Legenda: Ana Rosa (Giuliana Maria ) vive o desafio de ser mãe e uma voz na defesa pela educação brasileira

DF Fiuza é roteirista e diretor de cinema e já produziu quatro filmes que abordam como tema a educação. Os documentários “Carregadoras de Sonhos” (2010) e “Casa de Anjo” (2007), a média metragem “Minha Voz Minha Vida” (2011), e agora o longa metragem “Abraço” (2019). 

144, dos 666 assentos da plateia inferior do equipamento serão disponibilizados. Não será permitida entrada e nem a permanência de pessoas sem máscara. “Abraço” traz o debate em torno da educação no País e a realidade destes trabalhadores nas salas de aula.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?