Quem foi Franz Kafka? Leitores indicam 4 obras fundamentais do escritor, falecido há 100 anos

Escritor tcheco é conhecido por livros como "A Metamorfose" e "O Processo"; veja onde encontrar obras para ler gratuitamente em Fortaleza

Escrito por Ana Beatriz Caldas , beatriz.caldas@svm.com.br
Autor morreu aos 40 anos e teve parte de sua obra publicada postumamente
Legenda: Autor morreu aos 40 anos e teve parte de sua obra publicada postumamente
Foto: Hulton Archive/Getty Images

Em 3 de junho de 1924, em um sanatório de Kierling, cidade próxima a Viena, na Áustria, falecia o escritor Franz Kafka. Morto em consequência da tuberculose aos 40 anos e com poucas obras publicadas, o autor tcheco se foi sem saber que viria a se tornar um dos escritores mais proeminentes da literatura mundial.

Na data que marca o centenário de morte de Kafka, é possível elencar uma série de motivos pelos quais o escritor segue atual e relevante: as inovadoras adaptações de sua obra para o teatro, as reedições frequentes, a pesquisa constante sobre sua obra em diferentes áreas do conhecimento e, claro, a conexão entre os personagens kafkianos e seus leitores.

Em homenagem ao escritor, o Verso conversou com três entusiastas da obra de Kafka que, além da admiração pela escrita do autor, conectam os temas presentes nos livros às diferentes áreas em que atuam profissionalmente. Confira as reflexões e as indicações de livros para conhecer a seguir:

Veja também

1) A Metamorfose (1915)

Legenda: "A Metamorfose" é uma das obras mais conhecidas de Kafka
Foto: Júnior Alves/Divulgação

É impossível falar de Kafka e não lembrar de uma das primeiras frases de livros mais famosas da história mundial da literatura: “Quando Gregor Samsa, certa manhã, despertou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado em um inseto monstruoso”.

A frase dá início ao livro “A Metamorfose”, obra em que o escritor apresenta algumas das características mais proeminentes de sua literatura, bem como uma marca importante de sua própria vida pessoal: o retrato da angústia humana e os conflitos pessoais como reflexo de problemas políticos e sociais mais amplos.

Por sua relevância literária, a obra foi uma das escolhidas para o Clube de Leitura Anormal, mediado pela psicóloga Maria Camila Moura, que também é colunista do Diário do Nordeste. "Todos os temas caros a Kafka estão ali: a alienação do ser, a opressão em meio um sistema estatal autoritário, o apagamento da subjetividade", destaca.

A mediadora conta que, na leitura conjunta feita com os membros do clube de leitura, o que mais chamou atenção de forma geral foi a densidade e multiplicidade de temas contidos em uma obra tão curta, que narra “a angústia e sentimentos labirínticos”. 

Não à toa, lembra Maria Camila, Kafka virou adjetivo: se algo é absurdo, angustiante, é kafkiano.

2) Carta ao Pai (1919)

Legenda: "Carta ao Pai": escritos nunca enviados ao genitor de Kafka
Foto: Rafaela Eleutério/Divulgação

Se em algumas de suas obras Kafka traz narrativas e personagens ficcionais – ainda que tenham características que remetem à sua própria vida –, em "Carta ao Pai" o autor expõe um relato direto e pessoal sobre a relação difícil que tinha com seu próprio genitor.

O documento, escrito em um curto período de dias e nunca entregue ao destinatário, foi publicado em 1919 e se tornou uma das obras mais conhecidas do autor. A indicação do clássico é também de Maria Camila Moura, que teve o primeiro contato com Kafka através desta obra – e nunca mais foi a mesma. 

“Pessoalmente, e enquanto psicóloga, 'Carta ao Pai' me impacta profundamente. A angústia, o conflito geracional, o tom biográfico e o impacto da figura do pai – tudo ali é tocante demais”, destaca. 

Maria Camila Moura e seu exemplar de
Legenda: Maria Camila Moura e seu exemplar de "Carta ao Pai"
Foto: Rafaela Eleutério/Divulgação

Tamanho impacto, pensou Maria, tem que ser compartilhado. Por isso, o livro foi o primeiro do autor tcheco a ser lido do Clube de Leitura Anormal

"Foi o livro que a gente leu que a gente mais recebeu e-mail dizendo que o livro foi levado para a terapia”, conta. “Muitas pessoas de algum modo conectaram com a sua história de vida. Foram relatos muito pessoais”, completa.

3) O Processo (1925)

Recentemente, o livro ganhou nova edição luxuosa da Antofágica
Legenda: Recentemente, o livro ganhou nova edição luxuosa da Antofágica
Foto: Reprodução/Antofágica

Além do impacto na literatura, há outra área em que Franz Kafka se tornou uma referência importante para leitores, professores e pesquisadores: as ciências jurídicas. Por ter se formado em Direito, Kafka trazia muito desse universo para sua literatura, fosse no estilo cartorial de escrita ou nas reflexões sobre a burocracia e as falhas da Justiça. 

A obra em que essa influência se torna mais visível é “O Processo”, publicado um ano após a morte do escritor e indicação de leitura do advogado e professor de direito Hélio Leitão. No livro, o personagem Josef K. é acusado de um crime desconhecido – e envolto em um processo que nunca termina.

"É uma alegoria em que se denuncia a burocratização do sistema de justiça e a insensibilidade de seus atores", explica Hélio Leitão. "É por isso que o livro é tantas vezes referido nos meios acadêmicos e jurídicos: porque é um problema ainda presente", completa.

Para o professor de direito Hélio Leitão, Kafka é leitura obrigatória
Legenda: Para o professor de direito Hélio Leitão, Kafka é leitura obrigatória
Foto: Arquivo pessoal

O professor afirma que recomenda o livro de Kafka a todos os seus alunos como uma obra de referência, obrigatória. Além da burocracia, eles representam outro aspecto explorado na obra de Kafka: a desesperança.

A inovação na abordagem do autor foi tanta que o termo “processos kafkianos”, explica, é um jargão que se incrustou no meio jurídico.

“Os processos que se arrastam por anos a fio são um tormento, uma angústia. Não somos nós que mantemos a obra de Kafka atual; é a realidade, é o mundo que faz essa obra manter essa atualidade”, conclui Leitão.

4) Narrativas do Espólio (2002)

Livro foi publicado pela Companhia das Letras
Legenda: Livro foi publicado pela Companhia das Letras
Foto: Reprodução/Companhia das Letras

Além de romances e novelas, Kafka também foi um grande escritor de contos. Muitos deles foram publicados postumamente por Max Brod, grande amigo e testamenteiro do escritor.

Em 2002, 31 deles, escritos na última década de vida de Kafka, foram reunidos por Modesto Carone, conhecido como o grande tradutor de Kafka no Brasil, e publicados sob o título “Narrativas do Espólio” (Companhia das Letras).

Escritor, professor e entusiasta dos contos kafkianos, Marco Severo aponta que a coletânea é “um excelente ponto de partida” para quem deseja começar a ler Kafka. Na obra, há textos como "Blumfeld, um solteirão de meia-idade", "Prometeu" e "Durante a construção da muralha da China".

Marco Severo é escritor e professor
Legenda: Marco Severo é escritor e professor
Foto: Isanielle Nascimento

Para Marco, seja enveredando pelas leituras curtas ou mais extensas, conhecer a obra como kafkiana segue imprescindível para uma compreensão mais profunda da condição humana, já que os textos contém reflexões sobre a sociedade que seguem relevantes.

“Seus escritos profundamente introspectivos e perturbadores ressoam com pessoas de todas as épocas e culturas. O texto de Kafka captura a essência da condição humana, suas angústias e seus dilemas existenciais, o que torna sua obra atemporal e universal”, pontua.

Os temas que Kafka aborda em suas obras, como a solidão em meio ao convívio social, o esmagamento da subjetividade por um sistema social opressor, e o desaparecimento de si, parecem ser temas que dialogam bastante com nossa sociedade atual. O existencialismo de Kafka nos ensina a refletir: qual o nosso papel nesse mundo? Há esperança?
Maria Camila Moura
psicóloga e mediadora de leitura de colunista do Verso

Onde encontrar

Quem deseja conhecer as obras do escritor tcheco pode encontrar alguns dos principais escritos de Kafka para empréstimo na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece), no Centro de Fortaleza. O espaço oferece exemplares de obras como "A Metamorfose", "O Processo", "O Castelo" e "Um Artista da Fome", entre outros.

Serviço
Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece)
Endereço: Av. Presidente Castelo Branco, 255 - Centro (ao lado do Dragão do Mar)
Horário de funcionamento: De terça a sexta-feira, das 9h às 20h, e aos sábados e domingos, das 9h às 17h
Mais informações: (85) 3101-2545 e nas redes sociais 
Clique aqui para consultar o acervo da Bece

Assuntos Relacionados