Fundação Raimundo Fagner atende 400 crianças e jovens de Fortaleza e Orós

O projeto possibilita há 19 anos em Orós, e há 16 em Fortaleza, um novo caminho para os assistidos do interior e da periferia

Escrito por Roberta Souza , roberta.souza@svm.com.br

Verso
Legenda: Desde os 7 anos no projeto, Kauan Miranda da Silva, 16, atualmente é monitor da turma de violão
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

Logo que chegou à Fundação Raimundo Fagner, Kauan Miranda da Silva, à época com 7 anos e hoje com 16, teve uma certeza: "Quando crescer, quero ser igual a esse cara, quero ser o presidente daqui". O garoto foi levado pela mãe à sede do projeto social em Fortaleza para ver "se mudava alguma coisa" e acabou mudando bastante. Inicialmente atraído pela piscina e pelo campo de futebol do Sítio Canteirão, foi na sala de violão que ele realmente se encontrou.

Hoje, Kauan já está na monitoria da turma de violonistas, e a ideia fixa de presidir a fundação, cuja arte é central no processo educativo, não o abandona. Morador do Alto Alegre, ele vai todos os dias de bicicleta para as aulas no Parque Itamaraty e inspira-se em pessoas como Jhon Abreu, 26, e Renata Alves, 27, que começaram no projeto ainda na infância, como estudantes, e atualmente estão como professores de flauta doce e canto-coral, respectivamente.

"O Fagner trouxe uma oportunidade para um bairro que era esquecido pelo poder público, sem praça ou área de lazer. Foi uma iniciativa grandiosa para as crianças terem conhecimento de cultura, arte. Eu não me imaginaria fazendo o que faço se não fosse essa Fundação", declara Jhon, que, influenciado pela experiência no projeto desde 2004, agora está cursando graduação em Música na Universidade Estadual do Ceará.

Renata, por sua vez, concluiu o mesmo curso pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). A caminhada dela no projeto teve alguns empecilhos. Não foi aceita na primeira seleção para participar das atividades da fundação e precisou que sua mãe fosse lá, chorando, para pedir uma segunda chance. Felizmente, funcionou. "Eu vejo minha história toda se repetindo, a cada criança que chega aqui, me emociono ao ver", compartilha.

Trajetória

Vivências como as de Kauan, Jhon e Renata tornaram-se possíveis primeiro em Orós. Foi lá, na cidade onde viveu a família de Fagner, que nasceu a fundação, em outubro de 2000. A ideia veio espontaneamente. Como o cantor desde sempre foi de colaborar com ações comunitárias na região, os amigos sugeriram que elas fossem centralizadas e direcionadas num objetivo comum e mais abrangente. E assim o fez.

Três anos depois, inaugurou a sede de Fortaleza, num sítio que pertencera à família. Lá, está também a exposição "Raimundo Fagner - Vida e Obra", com acervo vasto dos mais de 40 anos de carreira do cantor sistematizado por sua irmã, a bibliotecária Marta Lopes.

Legenda: Sede da Fundação Raimundo Fagner em Fortaleza
Foto: Foto: Helene Santos

O projeto tem o Grupo 3 Corações como parceiro mantenedor e atende a um público formado por 400 crianças e adolescentes (200 em cada cidade), na faixa etária de 7 a 17 anos de idade, em situação de vulnerabilidade social e matriculados na rede pública de ensino. As seleções acontecem uma vez por ano e incluem teste de aptidão e de leitura e escrita.

Em Fortaleza, os selecionados dispõem de salas de aulas (flauta, violão, coral, percussão e história da arte); atividades de dança (capoeira, danças folclóricas); artes plásticas; salas de som e vídeo; acompanhamento da leitura e da escrita; literatura; laboratório de informática; além de piscina, campo de futebol e áreas de lazer. Já em Orós, há quadras poliesportivas de futebol, vôlei e tênis; piscina; salas de atividades artísticas e educacionais; laboratório de informática; biblioteca e videoteca.

Tereza Tavares, diretora-administrativa e financeira da fundação, admira a atuação do presidente desde a juventude. "Primeiro como artista, sempre fui fã, e depois porque ele é um homem que se preocupa com a situação da sociedade, com a questão da infância e da adolescência no Brasil. Investe na educação integral de crianças e adolescentes aqui em Fortaleza e em Orós, e possibilita a transformação e a melhoria de vida dessas pessoas nesses dois municípios. Essa é minha grande admiração por ele", destaca.

Legenda: Tereza Tavares, além de diretora-administrativa e financeira da fundação, é grande fã de Fagner
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

Uma das coordenadoras do projeto em Fortaleza e prima de segundo grau de Fagner, Sandra Queiroz também enaltece a generosidade do cantor ao investir nessas ações. "O papel dele na fundação hoje é bem este, de mostrar para as pessoas que é possível transformar o mundo, com pequenas iniciativas, e que a gente pode, diante de tanto caos, de tanta história ruim que está acontecendo no planeta, fazer nossa parte na mudança", conclui. 

Serviço

Fundação Raimundo Fagner

Sede Fortaleza
Rua Duarte Coelho, 1023, Parque Itamaraty. De seg a sex, 8h às 11h e 13h30 às 16h30. (85) 3274-3726

Sede Orós
Travessa da Matriz, S/N, Alto dos Custódios

Assuntos Relacionados