Bolos caseiros da novela "A Dona do Pedaço" aquecem o mercado cearense

Além do apelo visual e do sabor, a iguaria também conquista pela afetividade, afinal, quem esquece daquele gostinho da infância?

Legenda: Empório Brownie tem semelhança com o exibido na abertura da novela A Dona do Pedaço
Foto: Foto: Divulgação

Engana-se quem pensa que os bolos caseiros conquistaram apenas o público da novela A Dona do Pedaço. Na vida real, o mercado cearense cresce a cada dia mais e fornece diversas opções de lugares, sabores, recheios, coberturas e muitas histórias curiosas.

Na trama, por exemplo, o famoso "Bolo Mágico", que alavancou a carreira de Maria da Paz, personagem vivida por Juliana Paes, representa um laço afetivo com a sua avó, quem a ensinou tudo sobre as receitas.

Para os telespectadores de Fortaleza, um outro bolo está fazendo sucesso: o Marilu. Receita da Empório Brownie, o lançamento da iguaria coincidiu com o início da novela, em maio. Além disso, o doce apresenta estética parecida com um dos exibidos na abertura da trama. Denominado pelos clientes como o "bolo da Maria da Paz" é um dos campeões de vendas, ocupando o segundo lugar dentre os mais pedidos.

E a semelhança continua na história. A escolha do nome Marilu é uma homenagem à avó da proprietária da marca, Mila Ary. Este bolo traz na cobertura um ingrediente que Marilu amava, a goiabada. Leva ainda creme de leite, queijo e brigadeiro branco. A receita caseira já acompanha a família por gerações.

Massa de qualidade

Outra referência à novela é a proprietária do Bem Feito da Gis, Gislaine Carneiro, que demonstra a sua paixão pelos bolos, a exemplo da personagem Maria da Paz. Ela aprendeu a fazer as massas, tradicional e mesclada, com a mãe, aos 15 anos. Com o tempo, foi aperfeiçoando e passando a fazer novas coberturas e recheios.

Legenda: Bolo fofo, de laranja, de milho e goiabada estão entre os mais pedidos da Bem Feito da Gis
Foto: Foto: Divulgação

O bolo tradicional, também chamado de fofo, é o mais vendido da marca. Laranja, limão, goiabada, bolo mole e ninho com goiabada são alguns dos sabores que seguem a proposta de produzir bolos que a família costuma consumir em casa e também de não industrializá-los. Apaixonada pela culinária, Gis só lançou a sua loja há um ano e meio. Antes disso, ela passou dez anos trabalhando com jornalismo e mais dois fabricando e vendendo os bolos em casa.

O destaque da sua produção fica por conta da massa. "Ela é a estrela. A gente tá sempre de olho na qualidade, mesmo com a grande demanda", explica. Gis garante que o segredo de um bom bolo está na receita e dedicação. "Além de seguir a técnica, tem que ter amor, porque cozinhar envolve muito sentimento".

Experiência de sucesso

Já Déborah Paiva, conhecida como Tetê, passou a fazer bolos para o "mesversário" do filho. Em junho de 2013, ela percebeu que seria uma forma de trabalhar sem ficar longe do bebê. A proprietária da Tetê Bolos iniciou com dupla carga horária, trabalhando em uma multinacional e produzindo os bolos à noite.

A primeira loja física surgiu no ano passado, depois de participar de uma programação de Dia das Mães promovida por um shopping de Fortaleza. Após o evento, veio o convite para permanecer no local. Na sequência, vieram outros espaços de venda.

Legenda: Na Tetê Bolos, um dos mais pedidos é o tradicional com recheio de leite condensado e polvilhado com leite em pó
Foto: Foto: Divulgação

A massa dos bolos, independentemente do sabor e do tamanho, é a que a mãe de Tetê fazia para a família. "É a massa da minha infância", diz. Essa base está também no sabor do mais vendido: o tradicional, podendo ser preparado em versões com recheio de leite condensado cremoso, polvilhado com leite ninho. Segundo a empresária, a preferência pelo tradicional é em razão de que "a combinação de sabor é muito boa, e não é um bolo muito doce".

Multiplicação

A partir do trabalho do pai, Mylena Neves e os irmãos distribuíram franquias da Griff do Bolo por várias cidades do Ceará: duas sedes em Fortaleza, uma em Maranguape, uma em Maracanaú e oito em Juazeiro do Norte e região.

A história começou quando Everaldo Fonseca, o pai de Mylena, herdou uma receita de bolo de macaxeira de sua tia. Além desse, passou a produzir e vender outros sabores em Campina Grande (PB), inaugurando a primeira loja no ano de 1998. Depois de uma superlotação de boleiros, Everaldo mudou-se para Juazeiro do Norte, onde o negócio progrediu.

Legenda: Na Griff do Bolo, os mais vendidos são os sabores de nata goiaba e o de milho
Foto: Foto: Divulgação

Hoje, a produção varia de 30 a 35 fornadas por dia, com cerca de 16 bolos em cada. A proprietária acredita que isso acontece pelo fato de a empresa prezar "muito pela receita, não mudar o material e o preço ser acessível para todo tipo de cliente".

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?