Bailarino e coreógrafo Ismael Ivo morre aos 66 anos em decorrência da Covid-19 em São Paulo

Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês na cidade paulista

O bailarino Ismael Ivo morreu em decorrência da Covid-19
Legenda: O artista ganhou notoriedade após atuar por mais de três décadas na Europa
Foto: reprodução/Instagram

 

O bailarino e coreógrafo Ismael Ivo morreu, nesta quinta-feira (8), aos 66 anos, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. A informação foi divulgada pela assessoria do artista. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Ismael Ivo assumiu o Balé da Cidade de São Paulo em 2017. Antes disso, o bailarino ganhou fama após atuar por mais de três décadas na Europa

O artista estava internado no hospital há um mês e chegou a ser entubado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), informou a assessoria. Ivo chegou a apresentar melhora no quadro, mas a situação se agravou na madrugada do dia da morte. 

Trajetória pela dança 

Nascido no bairro Vila Ema, Ismael Ivo é de origem humilde. Ele foi criado apenas pela mãe, que trabalhava como empregada doméstica e morreu em 2017. Segundo ele, ela era a maior incentivadora para que superasse desafios. As informações são do portal G1.

Desde a adolescência ele se interessava pela dança. Conseguiu bolsas de estudos em escolas de dança contemporânea e integrou o corpo de dançarinos do Teatro de Dança Galpão em São Paulo.

Em 1983, durante uma apresentação na Bahia, Ivo conheceu o coreógrafo norte-americano Alvin Ailey, que se interessou pelo artista e lhe abriu as portas para uma carreira internacional.

Então, em 1984, o artista se mudou para o exterior e fundou, com o diretor artístico Karl Regensburger, o festival de dança contemporânea ImPulsTanz, em Viena, na Áustria, considerado um dos maiores festivais internacionais de dança da Europa.

Dançarinos do projeto
Legenda: Dançarinos do projeto "Biblioteca do Corpo", do coreógrafo Ismael Ivo, em apresentação durante ensaio geral para o festival de dança Impulse, em 2013, na cidade de Viena
Foto: DIETER NAGL / AFP

Ivo ainda foi diretor da Bienal de Veneza e o primeiro negro e estrangeiro a dirigir o Teatro Nacional Alemão, em Weimar. Entre Estados Unidos e Europa, ele viveu fora do Brasil durante 33 anos.

Prêmio

Em 2010, Ismael Ivo foi condecorado com a Ordem do Mérito Cultural, outorgada pelo Ministério da Cultura (MinC) a pessoas, grupos artísticos, iniciativas ou instituições a título de reconhecimento por suas contribuições à cultura brasileira.  

Homenagens

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em uma publicação pelo Twitter, disse que o Brasil perdeu nesta quinta um dos maiores coreógrafos contemporâneos. "Ismael foi diretor da Bienal de Veneza, do Balé da Cidade, e o primeiro estrangeiro a dirigir o Teatro Nacional Alemão. Era um amigo querido. Muito triste. Minha solidariedade aos familiares", escreveu.

O secretário de cultura da cidade de São Paulo, Alê Youssef, disse, em nota, que Ivo era "um dos grandes artistas do nosso tempo". "Teve uma carreira brilhante na arte e marcou uma geração da dança nacional e internacional. Consagrou-se na Europa como diretor e curador na Bienal de Veneza, e na direção da companhia de dança do Teatro Nacional Alemão", declarou.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?