Natação: origem, benefícios e modalidades do esporte

O exercício combina força e movimentos coordenados dos membros superiores e inferiores e possui diversos efeitos positivos

Mulher nadando em piscina
Legenda: Permitir o movimento de deslocamento no meio líquido sem o uso de assessórios é o principal objetivo da atividade
Foto: Shutterstock

Famosa por ser uma atividade física completa, a natação é um esporte em que a maioria dos grupos musculares do corpo humano atua em conjunto com a respiração e pode permitir que o praticante domine outro ambiente, o aquático, além do habitat terrestre.  

O exercício combina força e movimentos coordenados dos membros superiores e inferiores, auxiliando na recuperação de lesões, perda de peso e aumento do condicionamento físico, entre outros. A prática possui alguns estilos que diferem na forma em como o indivíduo se mexe na água, mas todas possuem o mesmo objetivo: permitir o movimento de deslocamento no meio líquido sem o uso de assessórios.  

O que é   

A natação pode ser definida como uma atividade que realiza movimentos na água provocando o deslocamento do praticante, sem a ajuda de agentes externos, conforme o professor e pesquisador na área da Biomecânica da Natação na Universidade Federal do Ceará (UFC), Barroso Lima*.  

Saber nadar vai além da aprendizagem e exercitação das técnicas desportiva da modalidade — seja em decúbito frontal (frente), decúbito dorsal (costa) e na vertical —, segundo o docente é imprescindível dominar o equilíbrio adquirido com a prática e a respiração adaptada, além de procurar soluções motoras inovadoras.  

História 

Pinturas rupestres fazem referências ao uso da natação pelo ser humano há 7 mil anos. A atividade era utilizada pelo homem ainda durante a antiguidade, como meio de sobrevivência. Ele construía casas sobre a superfície aquática — as chamadas palafitas — para ficar seguro de predadores, ou quando era atacado por esses animais se atirava a água para fugir. 

A prática também integrava o treinamento de guerreiros na Grécia Antiga, que, ao se deslocarem para os campos de batalha, muitas vezes, precisavam atravessar cursos d´água e, como muitos usavam armaduras, acabavam morrendo afogados caso não soubessem nadar. A prática também era usada para conseguir alimento, através da pesca.  

Segundo o filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, Platão, “todo cidadão educado é aquele que sabe ler e nadar”. Os antigos egípcios consideravam a natação como um “requinte de educação”

No Japão, no ano 38 a.C., o Imperador Sugin já promovia festivais de natação. Mas foi na Europa, em 1800, que as primeiras provas isoladas, pequenos torneios, de natação moderna, como vemos hoje, começaram a acontecer.  

As competições de nado como esporte, chamada Natação Pura, iniciaram na Inglaterra em meados do século XIX, integrando as modalidades olímpicas desde a primeira edição dos Jogos em 1896 — destinada somente a homens. A participação feminina na modalidade só se concretizou nos Jogos Olímpicos de 1912.  

Modalidades  

A prática de competição, denominada Natação Pura Desportiva, é composta por quatro técnicas. O especialista listou cada uma. São elas:  

Crawl ou livre

A técnica é considerada a mais veloz entre as modalidades do esporte. Nela, os braços do nadador realizam uma espécie de S alongado. Durante o tempo todo, o nadador se mantém com a barriga para baixo.

Na prática, as ações motoras realizadas pelos membros superiores e pelos inferiores tendem a assegurar uma propulsão contínua. 

 

Costas

No estilo, o competidor fica de barriga para cima (decúbito dorsal), enquanto os braços giram alternadamente como se fossem hélices. As pernas trabalham mais na modalidade, executando, em média, seis batimentos para um ciclo completo de braçadas.

A ação segmentar alternada permite a criação de uma força propulsiva quase contínua, assim como no crawl.  

Peito

Na prática, que é comparada ao estilo de deslocamento usado por sapos, o competidor fica com a barriga para baixo e se locomove através do movimento simultâneo dos braços e das pernas.

Durante a braçada, o nadador faz o movimento de puxar a água em direção ao peito, levantando a cabeça para respirar, e, em seguida, jogar os braços para frente. Já as penas ficam na horizontal, com os pés virados para fora, executando movimentos também simultâneos de flexão dos joelhos.  

Borboleta

O nadador fica de barriga para baixo e movimenta simultaneamente os membros superiores e os inferiores. No estilo, considerado um dos mais cansativos, é preciso movimentar o corpo através de ondulações do quadril até os membros inferiores.

Em seguida, o competidor puxa os braços para fora da água, os jogando simultaneamente para frente, completando assim a braçada. Ao fazer o movimento com os braços, é possível que o praticante aproveite para respirar. 

Regras    

A Federação Internacional de Natação Amadora (Fina) é o órgão responsável pelas regras que regulam a natação desportiva no mundo. Conforme o pesquisador, cada uma das técnicas de nado possui normas específicas.  

As principais diretrizes do esporte são as medidas que determinam o tamanho das piscinas usada nas competições, que devem ter, pelo menos, 50 metros de comprimento, 25m de largura e 3m de profundidade para serem consideradas olímpica.  

O programa de natação olímpico define que as provas devem seguir as seguintes metragens e nados:  

  • Livre - 50m, 100m, 200m 400m, 800m 1.500m; 
  • Revezamento - 4x100m e 4x200m;  
  • Costas - 50m, 100m, 200m; 
  • Peito - 50m, 100m, 200m 
  • Borboleta - 50m, 100m, 200m;  
  • Medley - 200m e 400m; 
  • Medley misto - 4x100m.  

Benefícios da natação

Homem nadando em piscina
Legenda: Para ter acesso aos benefícios da prática, o indivíduo deve nadar pelo menos três vezes por semana, com o auxílio de um profissional de Educação Física
Foto: Shutterstock
  

O exercício é considerado a atividade esportiva mais completa, segundo Barroso Lima, pois trabalha simultaneamente diversos grupos musculares. Por ser executada em meio líquido, a natação facilita a movimentação do corpo, prevenindo lesões provocadas pela incidência direta da ação da gravidade. 

A modalidade favorece o tratamento e a recuperação de pessoas submetidas a procedimentos cirúrgicos e ou possuem sequelas desses, entre outros.  

Para ter acesso aos benefícios da prática, o especialista aconselha que o indivíduo nade pelo menos três vezes por semana, com o auxílio de um profissional de Educação Física.   

O que essa atividade faz com o corpo?  

A natação trabalha o corpo na totalidade, auxiliando o aumento do condicionamento físico, combate ao estresse, melhorando a memória e a respiração. O esporte contribui ainda para a manutenção da saúde do coração, além de atuar no fortalecimento das articulações e ligamentos, favorecendo o aumento da massa muscular.  

Pessoas que praticam o esporte regulamente podem perder peso, ao queimar gordura durante a execução do esporte. A atividade ainda atua na melhora da postura e da flexibilidade corporal.   

Emagrece?  

Sim, nadar pelo menos três vezes por semana pode contribuir para a perda de peso, já que a natação é uma atividade que pode consumir uma grande quantidade de energia do indivíduo, provocando o consumo de gordura do corpo.  

Natação para bebês  

Bebê nadando em piscina
Legenda: A partir dos seis meses já é possível que o bebê tenha aulas de natação
Foto: Shutterstock

Bebês podem e devem fazer natação, segundo o pesquisador, que classifica a possibilidade de aprender a prática desde cedo como um “seguro de vida”. O recomendado é que a partir dos seis meses, período em que já foram aplicadas as principais vacinas, o bebê possa ter aulas da modalidade. Também é nessa idade que o duto do ouvido está desenvolvido, diminuindo o risco de infecções.  

O especialista listou os principais benefícios de se iniciar a prática nos primeiros meses de vida. São eles:  

  • Adaptação ao meio líquido, característica fundamental para o desenvolvimento da criança; 
  • Melhora da postura; 
  • Aumento do condicionamento respiratório; 
  • Aprimora as noções de espaço e tempo;  
  • Contribui para o relaxamento, melhorando a qualidade do sono; 
  • Estimula o apetite;  
  • Melhora o desenvolvimento social e motor.  

É bom para asma?  

Sim, o esporte é considerado uma prática adequada para pacientes que sofrem da doença respiratória crônica. Conforme o especialista, a atividade parece induzir a bronco-constrição com menor intensidade comparada a outros exercícios físicas.  

Como na natação a inspiração é realizada através da boca e a expiração pelo nariz e boca, a modalidade possibilita que o indivíduo execute uma respiração ritmada, contribuindo para a melhora no condicionamento respiratório.  

Segundo Barroso Lima, semelhante ao efeito em pessoas saudáveis, um programa de treinamento com natação pode aprimorar a aptidão física de pacientes asmáticos.   

Quem não pode fazer natação  

Pessoas nadando em prova de triátlon
Legenda: O esporte trabalha o corpo na totalidade, auxiliando no aumento do condicionamento físico
Foto: Shutterstock

A atividade física costuma não ser recomendada para indivíduos que estão com crises de doenças como infecções pulmonares, rinites, sinusites, faringites. Alergias na pele também podem piorar devido ao uso de produtos químicos existentes nas piscinas, assim como as otites.  

Natação paralímpica   

A natação paralímpica foi uma das modalidades participantes dos primeiros Jogos Paralímpicos que aconteceram em 1960, em Roma. Nas primeiras edições, somente os atletas com lesões medulares podiam competir. 

Atualmente, competem atletas com deficiência física, visual e intelectual, em um total de 14 classes. Competidores com deficiência física são divididos em 10 classes funcionais, os atletas com deficiência visual em três classes visuais, e há apenas uma classe para atletas com deficiência intelectual. 

Na natação olímpica todos os nadadores nadam em uma mesma categoria, sendo masculino ou feminino, desde que tenham alcançado os índices de participação estipulados pela FINA nos seus respectivos países.  

Quanto custa a aula   

O valor de uma de natação pode variar. Fatores como idade do interessado e frequência na semana influenciam no preço final. Por exemplo, no Ceará, o Serviço Social da Indústria (Sesi) oferta aulas de nado a partir de R$ 34

*Antonio Barroso Lima é professor titular da Universidade Federal do Ceará (UFC) onde também atua como pesquisador na área da Biomecânica da Natação, sendo Doutor em Ciências do Desporto pela Universidade do Porto – Portugal (FADEUP) e Licenciado em Educação Física pela FEFISA - São Paulo.