Yoga: o que é, quais benefícios e como fazer

Redução do estresse, aumento da consciência corporal e alívio de dores crônicas são alguns dos benefícios associados à prática

pessoas praticando yoga
Legenda: A atividade é um conjunto de técnicas que combina respiração, posições corporais, flexibilidade e meditação
Foto: Shutterstock

Corpo e mente são interligados, e, por mais óbvio que seja esse fato, ele pode ser esquecido com a rotina. Mas um possui influência sobre o outro. Por exemplo: um sentimento pode se manifestar através de uma postura, ao mesmo tempo em que o cansaço corporal pode afetar a mente. A ligação entre físico e psíquico é trabalhada no yoga.  

Na prática, o conjunto de técnicas que combina posições, respiração e meditação busca reconectar o ser consigo mesmo ou com algo maior. Redução do estresse, aumento da consciência corporal, alívio de dores crônicas e equilíbrio mental são alguns dos benefícios associados à atividade.  

O que é o yoga

O yoga é um conjunto de técnicas que combina respiração, posições corporais, flexibilidade e meditação. Existe mais de um tipo de prática que, como esclarece a professora de yoga Raquel Amapos*, possui vários métodos diferentes. Mas todos possuem o mesmo objetivo: estabelecer uma reconexão.  

O tipo de reconexão depende da vertente abordada, ou seja, é possível se reconectar com a entidade que o aluno considera deus, assim como pode ser uma conexão consigo, em que o indivíduo pode focar em expandir a percepção pessoal para o mundo ou acessar algum sentimento ou acontecimento que o aflige.

Tipos de yoga

A prática possui alguns tipos de vertentes, que se diferem em relação aos métodos. A especialista listou as principais delas. São elas: 

  • Hatha: conhecido também como yoga clássica, trabalha em cada aula exercícios de controle respiratório (pranayamas), posturas (asanas), relaxamento, meditação, contrações corporais (bhandas), jogos completos de exercícios (kryias) e gesticulação das mãos, dedos e braços (mudras). Os movimentos são suaves, mas vigorosos.    
  • Ashtanga: consiste em seis séries fixas de posturas. Durante a aula o professor pode ou não fazer comandos verbais para guiar os alunos, mas, como cada praticante conhece a própria série, é possível que instrutor apenas corrija os movimentos. Por ser dinâmica, exige disciplina, foco e resistência.  
  • Kundalini: a prática mescla a energia cósmica (prana) com a energia de eliminação (apana), gerando uma pressão que força a subida da energia kundalini através da coluna vertebral, onde fica os chakras, utilizando os exercícios respiratórios (pranayamas), contrações corporais (bhandas), jogos completos de exercícios (kryias), além das posturas (asanas), palavras cantadas (mantras) e gesticulação das mãos, dedos e braços (mudras). 
  • Bhakti: também chamado de yoga devocional, é um dos ramos da atividade que prega a condução à comunhão divina através da devoção, levando o praticante a um estado de entrega a um deus ou entidade a quem é devoto. A entonação de mantras, os sons sagrados do yoga, é muito utilizado na atividade, além da respiração e posições.    

Origem do yoga

pessoa praticando yoga
Legenda: Todos os métodos de yoga possuem o mesmo objetivo: estabelecer uma reconexão
Foto: Shuttorstock

O significado mais conhecido do yoga é unir o corpo e a mente. Conforme Raquel Amapos, definir a origem exata do conjunto de técnicas é difícil, já que existem teóricos que afirmam que elas existem há séculos ou milênios, e foram passadas de gurus a aprendizes até os dias atuais.  

No entanto, o yoga praticado no Brasil possui raízes no yoga indiano, que surgiu do hinduísmo, uma das religiões mais antigas do mundo. Ela agrupa crenças filosofias de vida, tradições culturais e valores, e é a principal religião da Índia, interferindo na organização social e política do país, e também está presente em outros lugares do mundo.   

Baseando-se nos conceitos da doutrina, a sociedade indiana está dividia em castas, compostas por: Brâmanes – sacerdotes e letrados que nasceram da cabeça de Brahma; Xátrias – guerreiros que nasceram dos braços de Brahma; Vaixás – comerciantes que nasceram das pernas de Brahma; Sudras – servos, camponeses, artesãos e operários que nasceram dos pés de Brahma.  

Abaixo dessa estrutura social estão os que vieram da poeira do pé de Brahma, e não possuem castas. Eles são chamados de párias, dálit ou intocáveis.  

No hinduísmo, o yoga é um dos exercícios praticados para alcançar o caminho divino. No entanto, Raquel Amapos frisa que, originalmente, a atividade só podia ser executada por membros masculinos das castas altas, mas as tradições tântricas surgiram e transgrediram algumas normas.

Então a versão que chegou ao Brasil, apesar de beber na fonte indiana, é adaptada para os corpos ocidentais, latinos e para as mulheres.  

Como fazer  

O yoga pode ser realizado em estúdios, onde professores ensinam aos alunos a forma correta de executar exercícios, respirações, mantras e gestos do método escolhido.

As turmas podem ser formadas por muitos indivíduos ou por poucos. No entanto, quanto menor o número de participante em uma aula, mais personalizada e adaptável a prática será. 

Também é possível realizar o conjunto de técnicas sozinho, em casa, ou em qualquer ambiente em que o interessado julgue melhor. Mas, é necessário ter cuidado, já que o ideal, como explica a especialista, é sempre ser acompanhado por um instrutor, mesmo que seja remotamente, pois o yoga pode causar lesões se for executado erradamente ou além dos limites do aluno. 

Quais os benefícios  

A prática contribui para a construção de um corpo mais forte e flexível, mas os resultados adquiridos no yoga dependem do empenho do praticante. Caso o indivíduo se dedique com disciplina a uma prática recorrente, pode ter um corpo forte e flexível, além de adquirir maior consciência corporal e um estado de equilíbrio entre psíquico e físico.  

Reduzir o estresse, aumentar a concentração e o estado de consciência presente, além de melhorar a digestão e o alinhamento da coluna e da pisada, são outros fatos positivos consequentes do exercício.  

Já para os alunos que se propõem a realizar uma conexão consigo ao longo da prática, os benefícios podem ser mais amplos, abrangendo aspectos emocionais e mentais na construção de um estado de presença, adquirido através do processo meditativo.  

A meditação, por si só, já tem inúmeras vantagens, pois atua em partes do cérebro que desaceleram a forma como as informações são assimiladas, então elas param de ser absorvidas aceleradamente, e o aluno passa a compreendê-las com mais cuidado.  

Então, ao aliar a elevação mental ao conjunto de técnicas, o praticante pode acessar emoções que antes existiam apenas no inconsciente. No entanto, a professora alerta que esse processo de olhar para si pode não ser fácil, pois nem sempre a pessoa encontrará sentimentos bonitos.

Segundo ela, o yoga é um processo de reconhecimento dos aspectos de luz e sombra existentes em cada um. 

Como fazer yoga para iniciantes 

O primeiro passo para os interessados em ingressar na prática, segundo Raquel Amapos, é procurar um professor. O acompanhamento presencial ou virtual do exercício é considerado essencial pela profissional, pois lesões são comuns em iniciantes que executam a técnica sem supervisão.  

O tipo de yoga mais indicado para começar é o clássico, o hatha, que é o mais tradicional e conhecido, e costuma ser a porta de entrada no universo da atividade. No entanto, a professora frisa que iniciantes podem executar qualquer um deles caso estejam assistidos de perto por um profissional apto a orientá-los e que ofereça segurança.  

Como fazer yoga em casa  

pessoa praticando yoga em casa durante aula online
Legenda: Qualquer pessoa pode realizar a prática, desde que seja acompanhada de um professor
Foto: Shutterstock

É possível praticar a atividade no conforto de casa, desde que haja um instrutor do método auxiliando e assistindo essa execução. Segundo a especialista, há professores que trabalham com esse formato de aulas, que costumam ser mais acessíveis.   

O indivíduo que prefere fazer yoga fora do estúdio deve possuir alguns acessórios para auxiliar nos exercícios.

Conforme Raquel Amapos, além do tapete, que também é chamado de mat, e serve para proteger as articulações de impactos, é interessante possuir bloquinhos de yoga, que vão ajudar a reduzir o esforço e proteger a coluna em várias posturas. Fitas e faixas também podem auxiliar, atuando no ganho de espaço durante os alongamentos.  

Quem pode praticar  

Qualquer pessoa pode fazer yoga, desde que possua o acompanhamento de um instrutor, explica a professora. Ser consciente dos limites do próprio corpo e evitar comparar o progresso pessoal com o de outros praticantes são atitudes classificadas como primordiais pela especialista.  

Qual a diferença entre Yoga e Pilates 

Pessoas praticando yoga
Legenda: O exercício pode ser feito individualmente ou em grupos
Foto: Shutterstock

O pilates foi criado pelo alemão Joseph Hubertus Pilates (1883-1967), que era praticante de yoga. Então, ao desenvolver o novo exercício ele trouxe alguns princípios do yoga, mas em uma versão mais ocidental, alinhada a uma percepção mais refinada de anatomia. E por beber na fonte de uma para idealizar o outra, as práticas acabam sendo parecidas.  

Segundo Raquel Amapos, a principal diferença entre as duas técnicas é que o pilates é focado nos aspectos anatômicos do corpo, sendo mais voltado para o tratamento de lesões e doenças, já que é ministrado por profissionais da área da saúde, como fisioterapeutas. Enquanto o yoga vai trabalhar aspectos emocionais e meditativos, a partir de um ritual e, na maioria dos métodos, com uso de mantras. 

*Raquel Amapos é professora de yoga, fundadora do Santosha Yoga Shala e comunicadora social. Há 7 anos investiga, estuda e vivencia o yoga, tendo experiência na prática e no ensino do hatha, vinyasa e ashtang yoga.