Pilates: veja benefícios, pra que serve e a quem é indicado

A prática trabalha os músculos do corpo, a mente, além de auxiliar na flexibilidade, na concentração e na respiração

três pessoas praticando pilates
Legenda: Modalidade foi criiada pelo alemão Joseph Hubertus Pilates por volta de 1900
Foto: Shutterstock

Pessoas que querem aumentar a qualidade de vida e o condicionamento físico, através da prática uma atividade, mas que não gostam de se exercitar ao ar livre ou frequentar academias, o pilates pode ser uma alternativa. Gestantes, idosos, atletas, indivíduos sedentários ou com lesões, qualquer pessoa pode fazer a modalidade.   

A prática trabalha os músculos do corpo, a mente, além de auxiliar na flexibilidade, na concentração e na respiração. Ao aliar esses benefícios, a atividade física é constantemente indicada para pessoas que sofrem com dores crônicas, má postura, problemas na coluna, articulações, entre outros.   

O que é  

Criada pelo alemão Joseph Hubertus Pilates (1883-1967) por volta de 1900, a técnica é um exercício físico que oferece diversos benefícios para o corpo e para a mente, atendendo a necessidades de públicos bem distintos, que vão de gestantes e idosos a atletas, pessoas com mobilidade reduzida e em reabilitação. 

Os movimentos desenvolvidos pelo idealizador trabalham o fortalecimento muscular e a flexibilidade ao mesmo tempo, misturando resistência e isometria — exercícios estáticos —, que exigem concentração, respiração coordenada e força. 

Conforme a fisioterapeuta e instrutora de pilates, Giuslaine Feitosa, a modalidade é “uma atividade que estimula o corpo como um todo e alia flexibilidade, alongamento, mobilidade, fortalecimento muscular e equilíbrio em um único tipo de exercício para o aluno”. 

A prática se baseia em alguns princípios: respiração, concentração, controle, fluidez, precisão e o Power House — referente ao conjunto de músculos que estabilizam a coluna lombar, torácica e cervical. 

Tipos de pilates  

A modalidade possui algumas categorias diferentes de prática, que envolvem desde exercícios aéreos, até atividades aquáticas. Apesar de distintas, a especialista frisa que todas as modalidades de pilates possuem o mesmo fundamento: “ativação do Power House e concentração do corpo como um só”. 

Clássico: deriva dos exercícios originais desenvolvidos por Joseph Hubertus Pilates, sem alteração, e utilizando os aparelhos desenvolvido por ele.    

Contemporâneo: a versão segue os mesmos fundamentos do clássico, porém traz algumas modificações funcionais e acessórios, como elásticos, que não são utilizados na versão original, e oferece mais liberdade ao instrutor.   

Aero: os movimentos saem do solo e são realizados no ar, com os alunos suspensos em tecidos circenses. A modalidade acaba por exigir mais força e concentração do praticante, já que foca em equilíbrio.  

Hidropilates: o tipo é realizado com o indivíduo submerso em um reservatório com água, como piscinas. Nele, molas são usadas para oferecer resistência e espaguetes de borracha ajudam o aluno a flutuar. Essa modalidade é indicada para pessoas que possuem estrutura mais frágil, por causa do baixo risco de lesões, explica Giuslaine Feitosa.  

Solo: nessa versão o aluno realiza os movimentos no chão usando a gravidade e o peso do corpo para fornecer resistência. 

Para que serve? 

Mulher praticando pilates
Legenda: O exercício utiliza a junção do corpo ao psíquico para estimular o bom condicionamento físico e uma maior consciência corporal
Foto: Shutterstock

O exercício utiliza a junção do corpo ao psíquico para estimular o bom condicionamento físico e uma maior consciência corporal. Desse modo, acaba por auxiliar na correção postural, tonificação dos músculos e aumento da flexibilidade.  

O pilates também tem a função de ajudar na reabilitação do corpo e prevenir dores crônicas e lesões, enquanto atua no fortalecimento muscular e na mobilidade do aluno.  

Vantagens e benefícios  

A prática regular da modalidade pode contribuir para diversas vantagens, como explica a fisioterapeuta. “A principal é a consciência corporal, pois quando o aluno atinge esse patamar, ele consegue se desenvolver com mais coordenação, equilíbrio, força e flexibilidade”, destaca.  

Outros benefícios da prática:   

  • Redução do estresse, dores crônicas e tensões; 
  • Correção postural; 
  • Estimulação do sistema circulatório e da oxigenação do sangue, através o aprimoramento da capacidade respiratória, pois ao usar a técnica de respiração profunda, o aluno consegue realizar uma maior oxigenação do sangue e, assim, o funcionamento do corpo melhora;  
  • Mobilidade articular, flexibilidade e relaxamento muscular; 
  • Ganho de consciência corporal; 
  • Equilíbrio; 
  • Aprimoramento da coordenação motora; 
  • Aumento do condicionamento físico e mental; 
  • Fortalecimento dos órgãos internos;  

Tem malefícios?  

Não. Conforme Giuslaine Feitosa, o pilates possibilita que o professor adapte a técnica baseando-se nas limitações de cada aluno, “com isso todos podem realizar a técnica e seus princípios”.  

Geralmente, as aulas da modalidade são mais eficientes quando feitas de forma individual ou com um número reduzido de alunos, exatamente para que o profissional possa realizar esse trabalho mais atencioso e consiga respeitar a condição de cada participante e desenvolvê-lo. 

Mas também é possível encontrar a atividade disponível para prática em grupo com um número grande de pessoas, no enquanto, para indivíduos que possuem condições médicas específicas, como hérnias e protusões, essa configuração não é a mais indicada.  

Emagrece? 

Mulher praticando pilates
Legenda: A modalidade atua principalmente na melhora da qualidade de vida dos praticantes
Foto: Shutterstock

A prática pode sim auxiliar no emagrecimento, segundo a profissional. No entanto, ela alerta que o resultado na perda de peso depende do nível comprometimento do praticante.  

"É possível realizar o emagrecimento com o pilates, porém depende do desempenho do aluno para conseguir desenvolver a técnica necessária” explica a especialista. 

Para quem é indicado  

Por não possuir contraindicação, a modalidade pode ser praticada por qualquer pessoa que deseja desenvolver mais condicionamento físico e qualidade de vida, já que é possível “adaptar a técnica e captar os princípios para aluno”, esclarece Giuslaine Feitosa.   

Pessoas que nunca praticaram exercícios anteriormente, sedentárias, idosos e grávida, além de atletas, e indivíduos com lesões e em recuperação podem praticar pilates, desde que sejam acompanhados por um instrutor.   

O que o pilates faz com o corpo   

Por contribuir para o fortalecimento muscular e o aumento da mobilidade e flexibilidade, a modalidade atua principalmente na melhora da qualidade de vida dos praticantes. Ao diminuir as dores corporais crônicas, tensões e corrigir a má postura, a exercício auxilia na rotina. 

Conforme a especialista, o “principal objetivo da técnica é trazer qualidade de vida nos pequenos e grandes movimentos do dia a dia”  

“O pilates tem a capacidade de possibilitar que uma pessoa consiga trabalhar ou brincar com seus filhos de formas mais harmônica, sem que sinta dores enquanto realiza algo mais simples do seu cotidiano”, afirma.  

É possível definir o corpo com pilates?  

Sim. Segundo Giuslaine Feitosa, é possível definir a musculatura do corpo ao praticar regulamente a modalidade, já que os movimentos ativam os músculos como um todo. A região do Core — conjunto de músculos que englobam e sustentam o tronco e estabilizam a coluna —, é a mais trabalhada.  

“Como um dos fundamentos é ativação do Power House, que é o nosso centro de equilíbrio para nossos membros superiores e inferiores, há a ativação da musculatura profunda”, e a definição dessa área é uma das consequências, explica a professora. 

O que se faz em uma aula de pilates  

Antes de iniciar a modalidade, é comum que os interessados sejam submetidos a uma avaliação física, momento em que é identificado pelo instrutor quais são as limitações e objetivos do aluno. Em cima desse encontro inicial, o plano de exercício é elaborado.  

Cada aula de pilates é única. Apesar de cada modalidade possuir características próprias, as aulas de todas as modalidades seguem o mesmo princípio, como explica a fisioterapeuta.   

“São exercícios que trabalham ao mesmo tempo concentração, ativação da musculatura corpórea, alongamentos e força, tudo ao mesmo tempo e em uma única atividade”.  

Giuslaine Feitosa é fisioterapeuta graduada no Centro universitário Estácio do Ceará, com pós-graduação em Traumato-Ortopedia. Possui formação em Pilates Contemporâneo Avançando e Aeropilates, além de Posturologia, Osteopatia e RPG. A profissional ainda é terapeuta manual.