Chá de alecrim: conheça benefícios e saiba como fazer

Infusão da erva é conhecida pela capacidade antioxidante ao corpo humano

Escrito por Mylena Gadelha, mylena.gadelha@svm.com.br

Ser Saúde
Chá de alecrim em xícara e rodeado de ervas
Legenda: O chá de alecrim é conhecido pelo sabor agradável e o ótimo aroma
Foto: Shutterstock

Melhora na digestão, alívio da dor de cabeça e combate ao cansaço. Esses são alguns dos benefícios conhecidos do chá de alecrim, feito a partir da planta Rosmarinus officinalis.

Originária da região do Mediterrâneo, ela sempre foi conhecida pelo aroma característico, sendo até mesmo utilizada na fabricação de incensos desde a antiguidade.

Os inúmeros benefícios ao corpo humano foram essenciais para que o chá da planta se tornasse um dos mais conhecidos pelo mundo. Na composição, por exemplo, possui alta quantidade de compostos flavonoides, terpenos e ácidos fenólicos, essenciais para a presença das propriedades antioxidantes nesta infusão. 

Além disso, segundo a nutricionista Anna Paula Gonçalves*, ele também representa propriedades como as digestivas, diuréticas e antidepressivas, atuando em órgãos diferentes e, como consequência, proporcionando diferentes benefícios.

"O chá de alecrim é dos mais completos. Ele atua na digestão, na melhora da cognição, calmante, diurético, antisséptico, melhora de gases, combate ao estresse, equilibra a pressão arterial, ajuda a combater o câncer e bactericida", expõe ela. 

Quais os benefícios do chá de alecrim?

Assim como outros chás, e como já dito pela nutricionista, o de alecrim é geralmente consumido pelas propriedades medicinais, justamente pelo fato de ajudar a resolver problemas de saúde parcial ou diretamente.

Segundo profissionais da área, no entanto, o acompanhamento é sempre necessário para entender como a ingestão pode ser ainda mais benéfica. 

Um dos benefícios mais conhecidos dele atualmente é o da atuação no sistema nervoso. Ele pode auxiliar na melhora da memória, concentração e também no raciocínio, prevenindo ou tratando condições como a depressão e a ansiedade

Alecrim em recipiente de vidro
Legenda: Ervas secas do alecrim são utilizadas para fazer infusão
Foto: Shutterstock

Outro lado bom está presente em foco no sistema digestivo, aliviando problemas como gastrite, azia, diarreia e constipação, além de conseguir atuar na redução de gases. Veja alguns dos outros benefícios conhecidos do chá de alecrim:

  • Atua como antioxidante, apresentando quantidades significativas de ácido rosmarínico, ácido cafeico e ácido carnósico, essencial para melhorar o sistema imunológico ou prevenir infecções;
     
  • Possui ação diurética, com benefício direto a quem busca diminuição na retenção de líquidos no corpo;
     
  • Combate o cansaço mental e é excelente para o funcionamento cerebral ou em períodos de estresse. Além disso, é conhecido pelo efeito benéfico no combate ao Alzheimer, evitando a perda de memória;
     
  • Por conta das propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, ajuda a aliviar dores de problemas como artrite, dor de cabeça, gota e dor de dente;
     
  • Ajuda do funcionamento do fígado após alimentação em excesso, principalmente no caso de comidas com teor elevado de gordura;
     
  • Ajuda pessoas com problemas circulatórios por possuir efeito antiplaquetário, evitando formação de trombos;
     
  • Outro benefício é a capacidade de fortalecimento dos fios de cabelo e combate à oleosidade excessiva do couro cabeludo, o que pode ajudar no combate a caspa. O chá de alecrim também é conhecido pela possibilidade de facilitar o crescimento do cabelo;

Serve para emagrecer?

A propriedade diurética do chá de alecrim faz com que ele seja, muitas vezes, recomendado a pessoas que desejam passar por processo de emagrecimento. Ainda assim, o alerta dos profissionais de nutrição continua avisando que apenas combinando a uma boa dieta ele é eficaz.

"Como ele atua diretamente na diurese e tem ação anti-inflamatória, pode ser sim utilizado para esse objetivo", conclui Anna Paula. 

Contraindicações

Apesar dos inúmeros benefícios, o chá de alecrim não deve ser ingerido por mulheres grávidas ou em fase de amamentação, já que algumas propriedades dele podem estimular a menstruação. Segundo Anna, crianças também não devem consumir este chá.

Chá de alecrim com ervas fora da xícara
Legenda: Chá de alecrim tem inúmeros benefícios como combate ao cansaço e alívio da dor de cabeça
Foto: Shutterstock

Outra informação é de que o óleo de alecrim, presente na planta e, consequentemente, no chá, pode estimular crises em pessoas com epilepsia. Dessa forma, o uso também não é recomendado nessas condições. 

Quem tem pressão alta diagnosticada também deve ficar atento, por conta da possibilidade de casos de hipotensão. Da mesma forma, pessoas que tomam diuréticos devem permanecer alerta a um possível desequilíbrio nos eletrólitos. 

Pode ser tomado à noite?

Ainda conforme as explicações da nutricionista Anna Paula Gonçalves, o chá de alecrim é amplamente analisado pela função relaxante, auxiliando fortemente pessoas com insônia, por exemplo.

Então, o aviso é favorável para quem deseja consumi-lo pouco antes de dormir. "Sim, ele pode ser ingerido nesse horário tendo como objetivo a melhora da qualidade e redução dos sintomas da ansiedade", pontua a especialista.

Como preparar o chá de alecrim

Logo após saber quais os detalhes que cercam o chá de alecrim, nada mais justo do que aprender a prepará-lo. O lembrete, diz Anna Paula, é que existe uma forma correta nessa questão. "Por ser um chá de ervas, ele deve ser fervido junto a água e quando começar a ferver ser abafado", explicita.

Antes de saber como fazer, quer saber qual a quantidade correta para tomar? A profissional também explica: "O ideal é que seja consumido em duas xícaras por dia, uma quantidade segura", finaliza. 

Ingredientes:

  • 5 g de folhas frescas de alecrim;
  • 250 ml de água em ponto de fervura.

Como fazer:

  • Acrescente o alecrim na água fervente e deixe repousar por 5 a 10 minutos, devidamente tapado;
  • Logo depois, coe o líquido, deixe amornar e tome sem açúcar. A dose recomendada é de 3 a 4 vezes por dia. 

*Anna Paula Gonçalves é nutricionista graduada pela Universidade de Fortaleza (Unifor), pós-graduada em Nutrição e Oncologia, pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva, além de pós-graduada em Nutrição Clínica e Funcional.

Assuntos Relacionados