Militares deram aval a Bolsonaro sobre decisão de perdoar Daniel Silveira, diz colunista

Categoria ainda teria comemorado a inciativa, conforme a jornalista Andréia Sadi

Escrito por Redação,

PontoPoder
Deputado federal Daniel Silveira
Legenda: O deputado foi condenado a prisão por atacar as instituições e a democracia, além de ministros da Corte federal
Foto: AFP

Os militares do governo deram aval para o presidente Jair Bolsonaro conceder perdão, nessa quinta-feira (21), ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo a colunista Andréia Sadi, do G1, a decisão do gestor não era o que desejava os partidos de centro. 

A princípio, o chefe do Executivo foi instruído pelos aliados a deixar a resolução do caso do político para o Parlamento: onde o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), poderia ser pressionado a salvar politicamente o mandato do deputado, cassado pela Corte. Segundo a publicação, apesar das condenações, a Casa legislativa poderia questionar a decisão sobre o mandato junto ao STF.  

Além de concederem o aval a decisão de Bolsonaro, os militares ainda teriam comemorado o perdão decretado nessa quinta-feira, revelou a colunista.

Silveira foi sentenciado pelo STF, na quarta-feira (20), a oito ano e nove meses de prisão por estimular atos antidemocráticos e ataques a ministros da própria Corte e instituições como ela. O parlamentar ainda foi condenado à perda do mandato, à suspensão dos direitos políticos e ao pagamento de multa de R$ 212 mil. 

Militares querem que Bolsonaro 'enfrente Judiciário'

Ainda conforme Sadi, a categoria teria uma "raiva" do STF provocada por dois principais motivos. São eles: 

  • Autorizar a candidatura do ex-presidente Lula, ao anular as decisões da Operação Lava Jato; 
  • Liberar áudios do Supremo Tribunal Militar da época da ditadura. A decisão da Corte é de 2017, mas, somente na semana passada, trechos dessas gravações em que militares comentam sobre torturar cometidas no regime vieram à tona, através do trabalhado do historiador Carlos Fico e divulgadas por Miriam Leitão.

Segundo a colunista, militares disseram estar irritados com a "retomada do assunto", pois acreditam que isso prejudica a imagem das Forças Armadas. Diante desse cenário, conforme a publicação, a categoria voltou a defender que Bolsonaro "enfrente o Judiciário".  

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste