Camilo Santana e outros políticos do Ceará se manifestam sobre prisão de vereador petista

Ronivaldo Maia teve prisão preventiva decretada na tarde desta terça-feira após arrastar mulher em carro

Escrito por Felipe Azevedo, felipe.azevedo@svm.com.br

PontoPoder
Governador Camilo Santana
Legenda: Declaração do governador foi feita no fim da tarde desta terça-feira (30)
Foto: Reprodução/Facebook

A prisão em flagrante do vereador de Fortaleza Ronivaldo Maia (PT) por tentativa de feminicídio provocou reações de políticos do Partido dos Trabalhadores (PT) e de outros partidos através das redes sociais. No fim da tarde desta terça-feira (30), o governador Camilo Santana (PT) disse ter determinado investigação "rigorosa e isenta" das secretarias da Segurança Pública e de Proteção Social. 

A expectativa é de que o Conselho de Ética da Câmara Municipal de Fortaleza se reúna para deliberar sobre o mandato do parlamentar. Ronivaldo Maia, inclusive, é membro titular do Conselho.

Entre os petistas que se manifestaram estão os deputados federais Luizianne Lins e José Guimarães, o estadual licenciado Moisés Bráz e o suplente Guilherme Sampaio, além dos vereadores da Capital Larissa Gaspar e Dr. Vicente. 

Em audiência de custódia nesta terça (30), na Vara de Audiência de Custódia, o juiz Cláudio Augusto Marques de Sales decidiu decretar a prisão preventiva.

A informação foi confirmada pela defesa do vereador. Segundo o advogado Hélio Leitão, eles pedirão a revogação da prisão preventiva. Ainda não há detalhes de onde ele ficará preso.

Repercussão

O governador Camilo Santana ressaltou que determinou que as secretarias de Segurança e Defesa Social investigassem o caso. 

"Que todas as providências legais sejam tomadas para que a Justiça seja feita", escreveu. 

A deputada Luizianne Lins repercutiu o fato, ressaltando o histórico da aliança política com Ronivaldo em defesa dos direitos humanos e se solidarizando com a vítima.

"Qualquer violência praticada contra as mulheres, seja ela física, moral, psicológica ou de gênero deve ser combatida. Manifestamos nossa irrestrita solidariedade à vítima. Compreendemos a gravidade do ocorrido e estamos acompanhando atentamente todos os desdobramentos. Aguardamos o curso das investigações e esperamos que os fatos sejam apurados com rigor e respeito ao direito de defesa, para que a verdade prevaleça e se faça Justiça", disse a ex-prefeita. 

Publicamente, a primeira correligionária a se manifestar sobre o caso foi a também vereadora Larissa Gaspar, líder da bancada do PT na Câmara.

“Recebemos com indignação a notícia [...], toda violência precisa ser enfrentada com firmeza. Exigimos uma rigorosa apuração dos fatos e que seja feita Justiça”, disse a petista. 

Montagem Moisés Bráz, José Guimarães e Larissa Gaspar
Legenda: Moisés Bráz, José Guimarães e Larissa Gaspar se manifestaram sobre o assunto
Foto: Reprodução

Em reunião da Executiva Municipal do partido no fim da manhã desta terça, ficou decidido que a filiação do parlamentar ficará suspensa no decorrer das investigações.

“Uma comissão paritária no âmbito do partido, com representação igualitária de homens e mulheres, para apuração disciplinar dos fatos”, informou ainda a nota.

O comunicado do PT de Fortaleza é assinado pelo vereador Guilherme Sampaio, que preside a sigla na Capital. Atualmente, o parlamentar assume a suplência como deputado estadual na Assembleia Legislativa.

Ao Diário do Nordeste, o presidente estadual do PT, Antônio Filho, classificou a decisão como acertada, e reiterou a necessidade de suspender a filiação do vereador.

Através das redes sociais, o deputado federal José Guimarães, um dos quadros mais antigos do PT no Ceará, manifestou repúdio aos fatos denunciados.

“Defendemos os direitos das mulheres e estaremos sempre na linha de frente da luta contra o machismo e todas as formas de opressão”, disse o parlamentar.

O deputado estadual licenciado Moisés Bráz também lamentou o episódio. “Em respeito à família do vereador, [...] lamento profundamente o fato, mas não posso considerar aceitável qualquer tipo de violência, muito menos contra a mulher”.

A vice-prefeita de Aracati, Denise Menezes (PT) ressaltou que "quando alguém como um parlamentar de esquerda, que tem acesso à toda discussão e formação necessárias, comete um crime como esse, vemos, enquanto mulheres, que o desafio de estarmos livres da violência é ainda maior do que se pensa".

Outros partidos

Do PSL, o deputado federal Heitor Freire disse que “É condenável em todos os aspectos a tentativa de feminicídio [...], o acusado, que há poucos dias discursava pelo fim da violência contra a mulher, a Justiça”.

A bancada do Psol na Câmara Municipal e na Assembleia Legislativa lançaram uma nota de posicionamento em conjunto repudiando o acontecimento.

“Colocamos nossos mandatos à disposição, compreendendo que a luta pela vida e pela liberdade das mulheres é estrutural para a construção do mundo que desejamos e que deve pautar nossa conduta diariamente”, disse o comunicado.

A bancada do Psol na Câmara é composta pelo vereador Gabriel Aguiar e pela mandata Coletiva Nossa Car,a representada pela vereadora Adriana. Na Assembleia o partido é representado pelo deputado Renato Roseno.