Tomate, leite e feijão encarecem e cesta básica de Fortaleza sobe 4,5% em junho

Conjunto de 12 itens chegou a R$ 657 - maior valor entre as capitais do Nordeste

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Tomate apresentou a maior variação de preços entre os itens da cesta de Fortaleza, com alta de 21,04%

Garantir a alimentação básica foi uma tarefa ainda mais difícil para o trabalhador de Fortaleza em junho na comparação com outros meses do ano. De acordo com divulgação do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o conjunto de 12 produtos, em suas devidas quantidades, ficou 4,5% mais caro em relação ao mês de maio, chegando a R$ 657. Tomate, leite e feijão apresentaram as principais elevações.

Para comprar 12kg de tomate, o fortalezense, que em maio gastava R$ 90,12, passou a pagar R$ 109,08 (variação de 21,04%). Já o leite (6 litros) passou de R$ 31,92 para R$ 35,16, alta de 10,15%. O feijão (4,5kg) ficou R$ 3,65 mais caro (+9,26%).

Além do tomate, do leite e do feijão, também apresentaram alta nos preços em junho a banana (2,26%); pão (1,90%); manteiga (1,90%); açúcar (1,83%); arroz (1,15%) e café (0,67%).

Em contrapartida, ficaram mais baratas a farinha (-3,41%); a carne (-0,56%) e o óleo (-0,35%).

Veja a lista:

  • Carne: -0,56%
  • Leite: 10,15%
  • Feijão: 9,26%
  • Arroz: 1,15%
  • Farinha: -3,41%
  • Tomate: 21,04%
  • Pão: 1,90%
  • Café: 0,67%
  • Banana: 2,26%
  • Açúcar: 1,83%
  • Óleo: -0,35%
  • Manteiga: 1,90%

A variação da cesta básica em Fortaleza no mês de junho foi a maior entre as capitais do Nordeste pesquisadas pelo Dieese. O valor de R$ 657 também foi o maior da Região.

Jornada necessária

De acordo com o Dieese, considerando o salário mínimo vigente de R$ 1.212, o trabalhador teve que trabalhar 119h16min para adquirir a alimentação básica. Para uma família de dois adultos e duas crianças, o gasto ideal com alimentação é de R$ 1.971.

Com a variação de junho, a cesta básica de Fortaleza ficou 13,4% mais cara ante dezembro de 2021, quando custava R$ 579,06. Em 12 meses, a variação do conjunto de 12 itens chega a 21,3%.

O salário mínimo necessário para manter uma família de quatro pessoas no Brasil foi calculado em R$ 6.527,67 - 5,39 vezes o valor atual.