Setor de eventos teme nova proibição das atividades

Apesar do Governo do Estado ter prorrogado as medidas de isolamento sem alterações e ter elegido o setor de eventos como uma das prioridades, empresários afirmaram estar preocupados que o aumento de casos gere uma nova interdição

Legenda: Segundo decreto estadual, congressos e feiras ainda estão liberados se respeitarem as recomendações de saúde para evitar a propagação do novo coronavírus
Foto: JL ROSA

Mesmo após o aumento do número de casos de Covid-19, o governador Camilo Santana prorrogou, ontem, sem alterações, as medidas de isolamento social no Ceará, definindo a conclusão do novo protocolo de retorno para o setor de eventos como uma das prioridades do Governo do Estado. Ainda assim, empresários do setor afirmaram temer uma nova proibição total das atividades no Ceará.

De acordo com a presidente do Sindieventos, Circe Jane Teles Porta, durante esta semana, o setor se reuniu com o Governo do Estado e enviou propostas com o objetivo de mitigar os efeitos negativos aos negócios de um modo geral; entretanto, ela não sabe se isso repercutirá positivamente, devido ao aumento de casos de Covid-19. "Nós esperamos que sejam aceitos os nossos pleitos e acreditamos que eles devem nos responder no início da semana que vem, talvez na terça-feira".

Ainda conforme Circe Jane, os empresários do setor temem um fechamento total dos eventos nas próximas semanas, porque "o comitê está cada vez mais reticente e cauteloso a qualquer abertura por temer uma segunda onda da doença". "Eles não estão dando esperanças de que haja uma flexibilização até dezembro".

Contudo, segundo o secretário executivo estadual de Planejamento e Orçamento do Estado, Flávio Ataliba, a pedido do governador, o comitê está em contato com os setores que foram mais afetados com a pandemia, especialmente o de eventos, para tentar minimizar os riscos de contágio e ajudar os segmentos na retomada econômica. "Estamos aperfeiçoando os protocolos para garantir a segurança sanitária e, assim, ajudá-los. Realizamos três reuniões nesta semana com representantes das entidades ligadas ao setor de eventos e, na próxima, ocorrerão outras", explicou Ataliba.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios