Secretários de Paulo Guedes pedem demissão após impasse sobre a ampliação do teto de gastos

Bruno Funchal, Jeferson Bittencourt, Gildenora Dantas e Rafael Araujo alegaram motivos pessoais para a saída

Fachada do prédio do Ministerio da Economia
Legenda: Equipe de Guedes tinha manifestado insatisfação com o rompimento do teto de gastos
Foto: Reprodução

Alegando motivos pessoais, os secretários de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal; e do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração dos cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21). O próprio Ministério da Economia fez o anúncio, através de uma nota à imprensa. As informações são do G1.

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas; e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram demissão, apontando a mesma razão. Os substitutos ainda não foram anunciados.

Furo no testo de gastos gera impasse

A debandada ocorre após a equipe demonstrar insatisfação com a manobra liderada pelo Centrão para romper o teto de gastos em 2022 - ano de eleições gerais - para bancar o Auxílio Brasil

"Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do País", diz trecho da nota do Ministério.

Em visita à Paraíba, nesta quinta, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu sua proposta de pagar o valor médio de R$ 400 aos beneficiários do Auxílio Brasil, programa de transferência de renda que deve substituir o Bolsa Família.

Ele, contudo, negou que o pagamento do benefício signifique irresponsabilidade fiscal, embora não tenha dado explicações sobre como o Governo realizará os pagamentos sem romper o teto de gastos da União. "Ninguém está furando o teto, não", disse, contrariando declarações de Guedes.

Nesta quinta, o secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Coelho, também solicitou exoneração do cargo.

Leia nota divulgada pelo Ministério da Economia na íntegra:

Nota à imprensa

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21/10).

A decisão de ambos é de ordem pessoal. Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país.

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais.

Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados