Refinaria: governo vai ao Irã no dia 25

Legenda: Estado pretende ser ressarcido por terrenos e infraestrutura para refinaria na ZPE
Foto: Foto: Fernanda Siebra

O governo do Estado marcará presença no Irã no próximo dia 25 de janeiro para propor sua participação societária no projeto da refinaria para a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará, negociada com a National Iranian Oil Company e a Qingdao Xinyutian Chemical. A ideia de o Estado entrar com participação no empreendimento está "consolidada", segundo o secretário de Assuntos Internacionais do governo, Antônio Balhmann. A fatia negociada para o Ceará seria entre 10% a 15%, mesma faixa de percentual prevista para os iranianos. A maioria (70% a 80%) seria dos chineses da Quingdao.

"Com os investidores são chineses e os financiamentos são de bancos estatais, é muito importante que o Estado participe, pois dá mais peso institucional à proposta do projeto", justifica.

Como participação no empreendimento, "o Estado vai entrar com algumas coisas essenciais, como terreno, infraestrutura básica, então, tudo isso tem um custo, e o nosso objetivo é que essas áreas, terreno, infraestrutura, aquilo com que o Estado participe seja valorizado", explica o secretário.

"Quando projeto estiver operando, vendem-se as cotas de participação, e o Estado é ressarcido pelo terreno e infraestrutura. E ele vai receber mais do que o valor que aqueles ativos tinham originalmente", diz.

Outros investimentos

No encontro do dia 25, o governo também espera atrair outros aportes. "O certo é que o Irã tem expertise em várias áreas industriais, como petroquímica, autopeças, e tem uma boa bagagem industrial. A nossa proposta é apresentar a ZPE Ceará aos iranianos para favorecer a atração desses investimentos para o Brasil", finaliza o secretário de Assuntos Internacionais.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios