Pesquisa do Procon aponta variação de 249% no quilo do pimentão e alta nos preços dos supermercados

É a quarta alta de preços consecutiva nos últimos quatro meses. Foco da pesquisa são 60 produtos de primeira necessidade

Legenda: Segundo a pesquisa do Procon, o pimentão mais caro foi encontrado nos supermercados em Fortaleza por R$ 10,45. E o mais barato, por R$ 2,99
Foto: Agência Brasil

Alimentos e outros produtos nos supermercados de Fortaleza tiveram alta de 1,01% nos preços, segundo pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza). O levantamento foi divulgado nesta terça-feira, 18 de agosto. Alguns itens registraram uma grande variação de valores, a exemplo do pimentão (249,4%) e da laranja (142,8%). 

É a quarta alta de preços consecutiva dos últimos quatro meses. As regionais do Centro, V e II concentram mais elevações de preços. O valor dos 60 ítens de primeira necessidade considerados pela pesquisa somou, neste mês de Agosto, a média de R$ 488,43. Em julho, a mesma conta ficou em R$ 483,54. 

Além do pimentão e da laranja, a maior variação registrada pela pesquisa foi no preço do mamão, com 88,05% na diferença de valores entre a opção mais barata (R$ 1,59) e a mais cara (R$ 2,99). 

O Procon disponibiliza a pesquisa completa, com os preços dos produtos em todas as regionais de Fortaleza, pelo aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, e ainda no portal da Prefeitura de Fortaleza

Divisão

A coleta de preços para a pesquisa é feita presencialmente e divide itens de alimentação, produtos de higiene adulta e infantil, e limpeza doméstica. O levantamento, no entanto, não tem caráter de fiscalização. 

Ainda assim, os consumidores podem denunciar preços abusivos pelo 151, das 9h às 18h, de segunda a sexta. Ou ainda fazer a denúncia pelo aplicativo Procon Fortaleza. O órgão investiga a elevação de preços sem justa causa, conforme os termos do Código de Defesa do Consumidor.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios