Passagem aérea e banana puxam inflação em Fortaleza; veja itens que mais subiram de preço

IPCA na Capital cearense foi de 1,22% em setembro, acima da média nacional

Legenda: Passagem de avião foi o item com maior aumento na capital
Foto: Kid Júnior/ SVM

A inflação de Fortaleza em setembro ficou acima da média nacional. De acordo com dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados nesta sexta-feira (8), a capital cearense teve variação mensal de 1,22%, enquanto no Brasil o índice ficou em 1,16%.

Considerando dados nacionais, o IPCA de setembro teve a maior variação para o mês desde 1994. O índice subiu 0,29 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de 0,87% registrada em agosto. O resultado de Fortaleza foi consideravelmente maior do que o registrado no mês passado. Em agosto, o IPCA teve variação de 0,43%.

Fortaleza já acumula alta de 7,84% no ano e de 11,19% nos últimos 12 meses. Os números também estão acima da média nacional, que está em 6,90% no ano e 10,25% em 12 meses.

A alta de 0,79 p.p. foi puxada em grande parte pelos transportes, com ênfase para passagem aérea, que teve variação positiva de 43,73%. Transporte por aplicativo (13,56%), ônibus intermunicipal (6,55%) e transporte público (5,88%) estão entre os dez itens que mais subiram de preço.

Confira itens com maiores altas

Item Fortaleza (CE) Brasil
Passagem aérea 43,73 28,19
Banana - prata 15,66 9,3
Transporte por aplicativo 13,56 9,18
Café moído 7,69 5,5
Mamão 6,64 15,94
Açúcar refinado 6,63 4,29
Batata-inglesa 6,61 6,33
Ônibus intermunicipal 6,55 0,19
Transporte público 5,88 4,12
Artigos de maquiagem 5,76 9,97

Veja itens com queda de preço

Item Fortaleza (CE) Brasil
Maracujá -17,64 -4,79
Manga -7,52 -0,85
Serviço de higiene para animais -2,57 -0,27
Camarão -2,5 -1,6
Detergente -2,34 2
Hipotensor e hipocolesterolêmico (medicamentos) -2,2 -1,67
Artigos de papelaria -2,18 1
Hormonal (medicamentos) -2,16 -0,13
Alface -2,13 0,11
Roupa de cama -2 0,38

Para o cálculo do índice do mês, foram comparados os preços coletados entre 28 de agosto e 28 de setembro de 2021 (referência) com os preços vigentes entre 29 de julho e 27 de agosto de 2021 (base).

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados