Novo decreto: 30% da cadeia produtiva de eventos deve retomar atividades após liberação

Eventos corporativos serão liberados, com regras específicas, a partir do dia 14. Novo decreto também ampliará funcionamento de shoppings e restaurantes até às 22h a partir de segunda (7)

Legenda: Segundo a presidente do Sindieventos, projeção de novas liberações a cada 14 dias foi apresentada pelo governador Camilo Santana
Foto: Shutterstock

Com a liberação de eventos corporativos a partir do próximo dia 14 no Estado, conforme anunciou o governador Camilo Santana na tarde de hoje (4), o setor estima que pelo menos 30% da cadeia produtiva de eventos possa retomar as atividades, cujas atividades presenciais estão impedidas desde dezembro.

A previsão é do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Estado do Ceará (Sindieventos-CE). Segundo Camilo, a realização de eventos corporativos será condicionada a respeito a protocolos e a restrições de capacidade, mas ainda não foram divulgados os detalhes acerca da medida. 

“Nós enviamos a sugestão ao Comitê para retomada no dia 14 de junho e eles acataram. Ainda não sabemos como deve funcionar e tudo vai depender muito do número de participantes, tipo de espaço etc”, explica Circe Jane, presidente do Sindieventos-CE.  

Embora ainda restrita, a medida deve dar fôlego para o setor, cujos profissionais também receberam auxílio do Estado para reduzir perdas. 

“Com certeza vai dar uma ajuda muito grande, estamos aguardando isso há muito tempo e temos a esperança de que não retroceda para daqui pro segundo semestre nós retornarmos ainda mais de forma gradativa”.  
Circe Jane
presidente do Sindieventos-CE

Rede hoteleira deve ser impactada 

Outro setor que deve ser impactado com a medida é a rede hoteleira, que já havia demandado ao Governo do Estado a realização desses pequenos eventos nos salões dos hotéis.  

“É o começo de um destrave para a área dos hotéis, mesmo sendo reduzido. Existe demanda e é uma boa forma para a gente começar a ter mais movimento. É mais um passo, não sou a favor de passos muito largos para não haver retrocesso”, ressalta Régis Medeiros, presidente Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE).  

O presidente explica que a medida não gera tanta ocupação a mais, mas ocasiona uma maior movimentação nessas empresas. “A utilização desses salões é mais uma fonte de receita que estava parado”.  

Ampliação dos horários 

Outra mudança anunciada pelo governador foi a ampliação dos horários de funcionamento de shoppings e restaurantes para até 22h, o que também deve favorecer o turismo no estado segundo Medeiros.  

Para Assis Cavalcante, presidente Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL Fortaleza), a expansão gera ainda mais consumo para os shoppings por conta dos restaurantes localizados nesses centros comerciais.  

“Foi positivo para o setor. Com mais tempo do shopping aberto, o atendimento se dilui e há menores aglomerações, especialmente no Dia dos Namorados”, afirma.   
Assis Cavalcante
presidente da CDL-Fortaleza

No entanto, a demanda do setor ainda é a retomada de cinemas e teatros. “Acredito que, com essa liberação, a tendência é que logo essas atividades possam também voltar. Aos poucos, as coisas vão voltando. Diferente do ano passado, este ano temos vacina”.  

O presidente do Sistema Fecomércio Ceará, Luiz Gastão Bittencourt, pondera que a medida é boa tanto para empresários quanto para consumidores. “Quando você amplia, você distensiona e gera menos aglomeração. Gerando ainda alternativas de horários para os consumidores”, diz.  

Pensando no movimento de retomada e nos cuidados ainda necessários para evitar a proliferação da Covid-19, Gastão afirma que será feita uma campanha de conscientização pela Fecomércio para incentivar os protocolos sanitários. “Queremos que essa reabertura seja permanente”. 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios