Funcionários da Caixa no Ceará paralisam atividades nesta terça-feira (27)

Sindicato dos Bancários no Ceará estima adesão de 40% dos funcionários do banco

agência da Caixa
Legenda: Com paralisação, agência da Caixa em Messejana registra filas na manhã desta terça (27).
Foto: Fabiane de Paula

Os funcionários da Caixa no Ceará realizam greve nesta terça-feira (27). A mobilização ocorre após aprovação do estado de greve em assembleia realizada no dia 22 deste mês, de acordo com o Sindicato dos Bancários do Ceará. A estimativa da entidade é de uma adesão em torno de 40%. 

A reportagem passou por agências da Caixa em Fortaleza, na manhã de hoje, e verificou que os clientes continuavam sendo atendidos no banco.

Na agência de Messejana, havia filas do lado de fora da unidade, mas os relatos indicam um atendimento mais rápido e tranquilo que o de costume.

Na Parangaba, a movimentação é ainda mais tranquila. Sem a ocorrência de filas do lado de fora, consumidores que chegam ao local entram na agência de imediato.

Legenda: Movimentação tranquila na agência da Caixa na Parangaba.
Foto: Fabiane de Paula

Já no Centro da Capital, pequenas filas voltam a ser observadas, embora a velocidade do atendimento seja rápida.

Apesar da aprovação do estado de greve, o presidente do sindicato, Carlos Eduardo Bezerra, pontua que não haverá mobilização presencial nas agências. "Orientamos aos trabalhadores bancários da Caixa aderentes às paralisações o não comparecimento ao trabalho".

"Presencialmente não vamos aglomerar, pois, defendemos a vida e os protocolos sanitários. Queremos vacina para todos e respeito aos trabalhadores que estão sendo atacados pela direção da Caixa e governo Bolsonaro com essa privatização escondida que estão fazendo", avalia Carlos Eduardo Bezerra.

De acordo com o Sindicato, o motivo da paralisação é o "desmonte da Caixa". "Venda de ativos, descapitalização da Caixa, precarização dos direitos dos trabalhadores, cobrança abusiva de metas e desrespeito aos protocolos sanitários de proteção à vida", diz o presidente.

agência da Caixa no Centro
Legenda: Apesar das filas, atendimento na agência da Caixa no Centro acontece de forma rápida
Foto: Fabiane de Paula

Manutenção do serviço

A Caixa Econômica ajuizou no Tribunal Superior do Trabalho para manter pelo menos 60% dos funcionários em serviço, de forma retoma ou presencial. "A Caixa entrou com esse pedido para restringir o impacto da greve", diz o presidente do sindicato.

Dessa forma, nenhuma agência bancária está com atendimento totalmente suspenso.

A greve, que também ocorre em outros estados do País, vai até o fim do dia de hoje (27).

Resposta da Caixa

Foto: Fabiane de Paula

Em nota, a Caixa Econômica reforça que "participa de mesa permanente de negociação com as representações sindicais". O banco também pontuou que está "realizando a maior operação de pagamento de benefícios sociais da história, com liberação do Auxílio Emergencial e Bolsa Família, além da prestação de diversos serviços essenciais".

"Cabe destacar que milhões de brasileiros em situação de vulnerabilidade serão atendidos na rede de varejo da Caixa ao longo desta semana", pontua a instituição.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios