Ethereum implementa "London Fork" nesta quinta (05); entenda os impactos

Na teoria, as atualizações irão beneficiar todo o ecossistema da criptomoeda

Legenda: O EIP-1559 tem como objetivo diminuir a volatilidade e trazer mais previsibilidade para as taxas de transação da criptomoeda
Foto: Shutterstock

O hard fork London, apelido dado para a atualização da tecnologia de registro distribuído, deve ser implementado nesta quinta-feira (05) quando for minerado o bloco número 12.965.000 do Ethereum. Entre as mudanças, a principal é a Proposta de Melhoria do Ethereum 1559 (EIP-1559, na sigla em inglês). Confira o que deve mudar com a atualização.

O EIP-1559 tem como objetivo diminuir a volatilidade e trazer mais previsibilidade para as taxas de transação da criptomoeda. Na teoria, isso resolveria o problema das altas taxas cobradas dos usuários.

Por ter um sistema que só consegue lidar com um número limitado de transações por vez, a modificação também deve ajudar a reduzir a incerteza de quem não sabe se terá a operação aprovada por ter definido o gas mais baixo.

As alterações têm gerado boa reação do mercado nos últimos dias. Após encerrar esta quarta-feira (04) com alta de 10%, a moeda segue valorizada com variação de 4,46% nesta quinta (05).

Às 12h05, o Ethereum estava cotado a R$ 14.447,51. Por enquanto, a máxima do dia chegou a R$ 14.502,58 enquanto a mínima está em R$ 13.244,62.

Como irá funcionar

A atualização irá definir um preço mínimo para o gas, além de inaugurar um sistema que aumentará as taxas de transação quando o mercado estiver movimentado e diminuirá quando ele estiver mais calmo.

Com a responsabilidade de definição das taxas passando dos mineradores para um algoritmo, a ideia é que haja mais consistência no ecossistema Ethereum.

Outra importante alteração é que os mineradores deixaram de receber as taxas de transação, que passarão a ser queimadas, diminuindo a emissão da criptomoeda.

O EIP-1559 ainda irá introduzir um sistema de gorjeta opcional à taxa básica. Essa taxa de inclusão servirá para que os mineradores priorizem sua transação. O mecanismo deve ser a nova fonte de renda dos mineradores.

Vetor de deflação

Com a queima das taxas de transação, é esperado que, com o tempo, haja uma redução do ritmo de avanço no número de tokens sem a limitação da oferta. Isso acontecerá quando a quantidade de ether queimado for maior que o volume recém-minerado por meio de recompensas em bloco.

A partir desse ponto, deve haver um declínio gradual e constante na oferta da criptomoeda. O objetivo é reduzir a taxa de emissão anual de Ethereum, atualmente em 4%.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios