Diferença entre planos de telefonia chega a R$ 1.200

Pesquisa mostra ser possível pagar bem menos em planos com consumo de internet e voz semelhantes

Legenda: Segundo a Associação de Consumidores Proteste, o ideal é que o consumidor escolha a oferta mais adequada aos seus hábitos de consumo
Foto: Foto: Thiago Gadelha

Dada a variedade de ofertas de planos de celular disponíveis no mercado, hoje o consumidor consegue encontrar - com grande oferta de preços - opções com ampla quantia de dados e minutos ilimitados. A associação de consumidores Proteste comparou os planos das principais operadoras do País e mostrou que é possível pagar bem menos para utilizar planos com a mesma quantidade de internet e voz.

> Operadoras apostam em serviços complementares

Como a pesquisa levou em conta apenas os valores para o eixo Rio-São Paulo, o Diário do Nordeste substituiu os preços dos planos utilizados como referência para os de Fortaleza, conforme divulgados, ontem (23), no site das quatro principais empresas de telefonia com atuação no Estado. A comparação levou em conta três perfis de consumo: pouco conectados, os que consomem internet moderadamente e os superconectados.

Perfis de consumo

No perfil pouco conectado, que leva em conta planos com pelo menos 100 minutos locais e 2 GB de internet por mês, a Vivo se sobressai por oferecer um pouco mais que o plano de mesmo valor mensal da Claro na Capital. Já a TIM tem o produto mais caro, que representa um custo anual de R$ 178,92 a mais que as opções mais baratas, mas que também inclui mais minutos para ligações a outras operadoras.

No perfil com pelo menos 200 minutos e 5 GB de internet mensais, é possível pagar bem menos por um plano com mais vantagens, o que pode representar uma economia de até R$ 600 por ano. A Oi tem a opção mais vantajosa por oferecer 1 GB a mais que o pacote de mesmo valor da Vivo. A TIM tem o plano mais caro para o perfil, com custo mensal de R$ 149,90.

Para os superconectados, perfil que considera uma linha com no mínimo 300 minutos e internet de 8 GB mensais, a diferença entre os pacotes oferecidos pela operadora chega a ser de 66,7%, podendo impactar o orçamento em até R$ 1.200 por ano. Desta vez, a Vivo aparece com o plano mais barato, e a TIM, mais uma vez, oferece a opção de maior custo entre as concorrentes.

Foram destacados os planos mais baratos, para os perfis pré-definidos, para cada operadora. É bom lembrar que todos os planos citados na pesquisa possuem diferentes vantagens, como WhatsApp gratuito, contas premium em aplicativos diversos, bônus, pontos de fidelidade, entre outros, cabendo ao próprio consumidor decidir se vale a pena, ou não, pagar um pouco a mais pelo serviço.

Adequação

De acordo com a técnica do estudo e representante da Proteste, Natalia Dias, os resultados reforçam a importância de pesquisar os preços antes de contratar o serviço. "O ideal é que o consumidor escolha a oferta mais adequada para os seus hábitos de consumo e não contrate serviços extras desnecessários, como um pacote maior de dados ou uma franquia de minutos que não usará", recomenda Natália.

Ela aponta que os segmentos Controle e Pré-pago só são indicados quando, de fato, o consumidor tem um perfil de usuário que caiba dentro das ofertas disponíveis, sem que tenha necessidade de consumir tarifas excedentes. "Se o consumidor utiliza pouco o celular, costuma ligar para contatos da mesma operadora e não consome muito a internet, máximo de 1 GB mensal, a opção de um plano pré-pago pode ser vantajosa".

Dessa forma, aponta Dias, não ocorrerão gastos por opções que o usuário não costuma usufruir. "Agora, quem quer ter um maior controle dos gastos e sabe em média quantos minutos utiliza e não varia muito esse padrão, pode optar por um plano controle. É a opção mais recomendada para quem possui smartphone e costuma usar o plano de dados com alguma frequência", explica a técnica.

Dias recomenda ainda que, para não desperdiçar, os consumidores devem procurar falar o mínimo no celular, utilizando mais os aplicativos para troca de mensagens; buscar utilizar wi-fi em estabelecimentos que disponibilizem o serviço; conferir se os valores cobrados estão corretos; e procurar saber se está sujeito a algum período de fidelização, bem como os custos da rescisão do contrato.

O estudo faz a ressalva de que os perfis traçados podem não estar de acordo com os de alguns consumidores. Para fazer uma simulação personalizada, os usuários podem acessar o site da Proteste (www.proteste.org.br) e utilizar o simulador online de Tarifa de Celular.

Nível de satisfação

A Proteste também verificou, no ano passado, o nível de satisfação dos consumidores com os serviços prestados pelas operadoras. O levantamento, feito em todo o País, levou em conta a satisfação em relação à qualidade do som da comunicação, velocidade da conexão, estabilidade da conexão, entre outros.

A Nextel obteve a maior nota geral entre as operadoras, ficando com 57 pontos na avaliação final. Em segundo lugar aparece a Vivo, com 55 pontos, seguida pela Claro (52 pontos) e pela TIM (48 pontos). Por sua vez, a operadora Oi obteve a menor satisfação entre os consumidores, com 47 pontos.

d

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios