Construção de novo hotel deve valorizar região do aeroporto

Plano da Fraport para o desenvolvimento imobiliário das áreas no entorno do terminal em Fortaleza tem condição para elevar potencial imobiliário da região no médio e longo prazos, dizem empresários do mercado cearense

Legenda: Segundo a Fraport, a área destinada à exploração imobiliária no entorno do aeroporto é de seis quilômetros quadrados
Foto: Kid Junior

A cessão de áreas do Aeroporto Pinto Martins destinadas ao desenvolvimento imobiliário, proposta pela Fraport, poderá favorecer a valorização de imóveis no entorno do terminal. Para Tibério Benevides, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis no Ceará (Creci-CE), é natural que a construção de novos empreendimentos na área do Pinto Martins valorize a região no médio e longo prazos.

"Hoje, ainda não teria sentido a construção de novos empreendimentos ali que não sejam agregados ao aeroporto. Mas no médio e longo prazos pode haver uma valorização", diz Benevides sobre a proposta da Fraport de cessão de terreno para a construção e operação de um hotel ao lado do terminal de passageiros. "O hotel será de extrema importância para o terminal", disse.

O lançamento do RFP (Request for Proposal) para cessão de aproximadamente 6 mil m² destinada à construção e operação de um hotel foi anunciado ontem pela manhã. O público-alvo são redes e operadores hoteleiros, bem como investidores. Os interessados no RFP podem se cadastrar até o dia 15 de novembro.

Para José Carlos Gama, vice-presidente da Área Imobiliária do Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE), o hotel, assim como os outros empreendimentos que venham a ser construídos no aeroporto, irão valorizar terrenos vizinhos, mas para o segmento residencial vertical, por exemplo, o impacto não deve ser significativo, devido à limitação de altura dos prédios que podem ser erguidos na região. "O terminal já é a principal âncora, e não resta a menor dúvida de que a liberação de áreas para hotéis, galpões e outros empreendimentos que vão subsidiar o aeroporto vão agregar valor aos terrenos vizinhos, e isso é importante para a cidade. Mas aquela área não será muito propícia para o desenvolvimento do setor residencial vertical", diz.

Segundo Sabine Trenk, COO da Fraport Brasil, o terreno possui integração direta com o Terminal e é ideal para atender também à crescente demanda de passageiros em conexão. "Além disso, há uma sinergia direta com a operação do aeroporto, que possibilita atendimento a tripulações, eventos, entre outros. Estamos falando de uma excelente oportunidade", disse.

Outros empreendimentos

Segundo comunicado da Fraport, o RFP do hotel é um primeiro passo de todo o "Real Estate" (uso imobiliário) do aeroporto. A área total destinada à exploração imobiliária possui aproximadamente 1 km² e será dividida em lotes a partir de 2,500 m², com frente para a BR-116 e a avenida Senador Carlos Jereissati. "Dentre os negócios vislumbrados, a Fraport Brasil - Fortaleza destaca atividades como hipermercados, outlet malls, concessionárias de veículos, clínicas, postos de gasolina, centros de logística, escritórios e outros", diz a empresa.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios