Caixa reduz taxa de juros do crédito imobiliário atrelado à poupança; saiba como será

O banco também lançou linha de crédito para reforma e adaptação de imóveis destinados a Pessoas com Deficiência

Escrito por Estadão Conteúdo e Diário do Nordeste,

Negócios
Condomínio residencial
Legenda: Após anúncio de redução de taxas, Pedro Guimarães também anunciou que o banco vai aumentar em 20%, para a faixa de R$ 165 bilhões a 170 bilhões
Foto: Thiago Gadelha / SVM
Em meio à escalada da Selic, a Caixa Econômica Federal anunciou, nesta quinta-feira (23), a redução da taxa de juros do crédito imobiliário na modalidade indexada à poupança. As contratações com as taxas reduzidas começam no dia 28 de março próximo.
 
A informação foi divulgada pela Caixa pouco antes de começar o evento Summit Abrainc 2022, organizado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) com empresários do mercado imobiliário e a participação do presidente do banco estatal, Pedro Guimarães.

O que mudará?

  • As novas taxas partem de TR (Taxa Referencial) + 2,80% ao ano, somadas à remuneração da poupança, o que representa uma queda de 0,15 ponto porcentual;
  • O banco também lançou linha de crédito para reforma e adaptação de imóveis destinados a Pessoas com Deficiência (PcD).

Como funcionará a linha para PcD?

A nova linha estará disponível a partir de 28 de março e contará com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para reforma ou adaptação de imóveis próprios, no âmbito do Casa Verde e Amarela (CVA), para famílias que tenham integrantes com deficiência.

A modalidade oferecerá financiamento de até R$ 50 mil, limitado a 80% do orçamento da obra; taxa de juros a partir de TR+ 4,25% a.a; prazo de 240 meses para pagamento; válido para pessoas com renda bruta mensal de até R$ 3 mil.
 

Casa Verde e Amarela


Outra novidade anunciada pela Caixa são as novas condições do Casa Verde e Amarela (CVA). A partir de 12 de abril, o financiamento às famílias com renda entre R$ 2.000,01 e R$ 2 400,00 do programa terão redução da taxa de juros de 0,5 ponto porcentual no crédito e aumento dos subsídios para aquisição e construção de moradias.

A Caixa registrou recorde de recursos financiamentos à habitação em 2021, chegando a R$ 140 bilhões. Já neste ano, entre janeiro e fevereiro, foram contratados R$ 21,5 bilhões em crédito, crescimento de 33,7% em relação aos mesmos meses do ano passado.

 

Caixa deve aumentar crédito imobiliário em 20% neste ano

 

No evento, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, também anunciou que o banco vai aumentar em 20%, para a faixa de R$ 165 bilhões a 170 bilhões, as concessões de crédito imobiliário deste ano.

Guimarães disse que o crédito imobiliário teve crescimento de 33% no primeiro trimestre, se comparado a igual período do ano passado. Se a concorrência colocar o "pé no freio" nas concessões de financiamento a imóveis - segundo ele, o crédito mais seguro -, o presidente da Caixa salientou que a participação de mercado do banco no segmento vai chegar a 60%, saindo de 50%.

"Vamos mais do que dobrar fluxo de empréstimo imobiliário no Brasil se comparado à época dos balanços com ressalvas", assinalou Guimarães, fazendo uma comparação dos números atuais do banco com o de antes de sua chegada ao comando da Caixa. Segundo ele, as operações no programa Casa Verde e Amarela serão aceleradas ao máximo.

Em crítica às gestões anteriores, ele disse ainda que, antes do governo Jair Bolsonaro, a Caixa, além das ressalvas dos balanços feitas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), chegava a investir R$ 30 milhões na instalação de camarote de Carnaval em cima de agência em Salvador (BA). "A gente acabou com isso."