Agências comercializam pacotes de viagens até 60% mais baratos no Ceará

Promoções e descontos são necessários para atrair consumidores no pós-pandemia

Legenda: Gramado, na Serra Gaúcha, é um dos destinos preferidos pelos cearenses
Foto: Foto: Divulgação

As agências de viagem do Ceará estão com preços de pacotes até 60% mais baratos na comparação com o período antes da pandemia do novo coronavírus. Além disso, os viajantes cearenses, em sua maioria, estão preferindo destinos nacionais. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav-CE), Murilo Santa Cruz, as promoções são necessárias para atrair o público. 

"Os pacotes, de uma forma geral, estão mais baratos do que antes da pandemia. Em alguns pacotes a gente verifica descontos que variam de 40% a 60%. Dependendo do pacote alguns destinos têm descontos maiores. Os destinos mais agressivos (no preço) são exatamente para fora do País que é para onde se tem uma demanda menor. Tem pouco cliente querendo ir para fora do Brasil e quem quer viajar está optando viajar pelo Brasil", explica.

> Pousadas cearenses miram reabertura gradual com promoções para atrair hóspedes

Segundo a CVC, no geral, hotéis dentro do Brasil estão oferecendo tarifas até 30% mais em conta para o final do ano e em comparação com o mesmo período do ano passado.

Pelos cearenses e moradores do Nordeste como um todo, a maior procura é por destinos próximos, com viagens de carro, e também por destinos no Sul (Serra Gaúcha, Foz do Iguaçu e Porto Alegre)

"As viagens internacionais, ainda que com uma busca mais tímida que as nacionais, também já começam a uma procura e interesse por programações para embarques em 2021, para destinos como Lisboa (Portugal) e outros na América do Sul, como Buenos Aires (Argentina) e Santiago (Chile)", informa a empresa.

Conforme Santa Cruz, as agências estão verificando um aumento dos descontos por parte dos hotéis e companhias aéreas.

"Neste caso, elas realizam promoções. As agências não determinam os preços, somos agenciadores. A gente está verificando sim uma grande movimentação no sentido de oferta por parte dos fornecedores, como hotelaria e companhias. Os hotéis estão com tarifas bem agressivas. Quem se programar, agora é o momento", pontua.

O presidente da Abav-CE também diz que esse movimento de promoções e descontos é natural. "O trade precisa fazer isso para ir retomando o volume de vendas. Enquanto a demanda está baixa, a gente vai verificar muitas ofertas. À medida que a demanda for aumentando, a gente vai ver que as tarifas promocionais vão diminuindo". 

Retomada 

Para a CVC, a retomada do mercado de turismo se dará pelas viagens de lazer em destinos domésticos, de forma gradativa, a partir deste mês. "A grande maioria dos hotéis e resorts parceiros da CVC já informaram que estão reabrindo de forma gradativa a partir de julho. A procura por orçamentos está mais concentrada para embarques no final do ano,  rumo a destinos nacionais", informou a agência. 

A companhia ainda explica que as pessoas que viajariam a lazer e que prorrogaram suas férias neste ano por conta da pandemia tendem a puxar o fluxo, viajando para destinos próximos de suas residências e abrindo oportunidades para o turismo regional. 

"Em termos de consumo, lugares de praia, campo, ambientes abertos e hotéis que oferecem espaço livre serão preferidos. E as viagens que o cliente pode fazer com o seu próprio carro – ou com veículo privativo para traslado ou alugando um carro na agência de viagens – são tendências para esse “novo normal”, na forma de viajar no momento da retomada", acrescenta a CVC.

Segundo Santa Cruz, a retomada da demanda no setor a níveis pré-crise se dará a partir do segundo semestre de 2021. "Eu acho que nos próximos seis meses a gente vai assistir a um incremento gradual. Não vai ser uma coisa muito rápida. Vai ser lenta e gradual, mês a mês. Eu acredito que só volta (a demanda) no segundo semestre do próximo ano, se nada de extraordinário acontecer". 

Ele diz que a vacina para a covid-19 pode acelerar a retomada do turismo. "Isso pode ser acelerado caso surja a vacina ou um medicamento eficaz. Naturalmente, como estão indo as coisas eu acredito que seja nesse ritmo até 2021".  

Desejos
Segundo a plataforma Booking, 51% das listas de desejo feitas na Booking.com entre março e abril de 2020 por viajantes globais era focada em destinos domésticos, enquanto que este mesmo número em março e abril de 2019 era de 33%. 

"É possível que essa tendência se reflita também nas preferências dos cearenses, que podem começar a buscar mais destinos no próprio estado nessa primeira fase de recuperação. A retomada do turismo se dará de maneira heterogênea entre países e regiões de cada país por conta das diferentes restrições de viagem", explica a empresa.