'Não tem uma coisa melhor na nossa vida', diz mãe adotiva cearense sobre reencontro de gêmeos

Tomaz Maranhão e Gabriel Ferreira foram adotados por famílias diferentes e, até o começo deste mês de junho, eles não tinham informações sobre o paradeiro um do outro

gabriel e tomaz
Legenda: Além do amor pela fotografia, Gabriel (Foto: Carol Polato) e Tomaz (autorretrato) descobriram que possuem apreço pela natureza e pelo leite com nescau toda noite

Foi com o sonho de exercer a maternidade que, há 23 anos, a cearense Maria do Socorro Maranhão acolheu Tomaz. Com apenas 15 dias de vida, a mãe biológica precisou dar a criança pela situação precária em que vivia, na periferia de Fortaleza. Dali inicia-se uma história de busca e esperança: Tomaz compartilhou o ventre ao lado de Gabriel, seu irmão gêmeo, que foi entregue a uma família de Uberaba, em Minas Gerais. Desde então, o sonho do reencontro virou quase uma necessidade para ambos.

O laço fraternal entre Tomaz e Gabriel parece nunca ter se partido, mas, na última quinta-feira (25), dia do aniversário dos gêmeos, eles finalmente puderam dar o esperado abraço físico.

“Não tem uma coisa melhor na nossa vida do que ter acontecido isso, do meu filho ter encontrado o irmão dele. Fiquei muito feliz, dei muita força pra ele ir, com certeza fiquei feliz demais. Eu acho que nunca na minha vida eu tive uma felicidade tão grande como do meu filho ter encontrado o irmão dele”, disse Maria.

Ao rememorar a própria história ao lado de Tomaz, Maria do Socorro conta como recebeu o filho ainda recém-nascido. “Eu soube que (a mãe biológica) queria dar um bebê e aí no caso era ele. Ela perguntou se eu queria e então eu fiquei com ele sim. Eu tinha muita vontade, né, já que eu não poderia ter, eu tinha vontade de criar um filho. Me deram e eu recebi de braços abertos e eu sou muito feliz. Ele é filho, ele é amigo”, relembra.

tomaz e gabriel
Legenda: Antes desse abraço presencial, Gabriel e Tomaz só tinham se visto por videochamada
Foto: Carol Polato

Tomaz já sabia desde os cinco anos de idade ter sido adotado, informação que Maria do Socorro fez logo questão de dar a ele. “Na época (da adoção) eu não cheguei nem a ver o Gabriel. Só o Tomaz mesmo. Mas sabia que ele tinha um irmão gêmeo. Quando eu falei isso (sobre a adoção), já falei pra ele que tinha um irmão gêmeo, ele cresceu sabendo que tinha um irmão sim”, conta Maria.

Aos 14 anos, contudo, a curiosidade foi tornando-se cada vez maior. Maria do Socorro relata que Tomaz começava a perguntar por Gabriel. “Ele queria conhecer o irmão, mas não tinha como”, afirma a mãe, que não tinha nenhuma informação do gêmeo do seu filho.

O desejo se transformou em esperança aos 16 anos, quando a mãe biológica fez uma visita a Tomaz, levando consigo uma foto do aniversário de um ano de Gabriel, enviada pela família adotiva de Minas Gerais.

“Nos 16 anos dele, a mãe (biológica) veio na minha casa. A gente recebeu ela, que deu a foto do Gabriel pra ele. Aí ele entrou em busca do irmão, mas, inclusive, não foi sucesso. Ele passou muito tempo procurando Gabriel, mas não encontrava. Ele chorava bastante, muitas noites, eu acordava e ele estava chorando”, relata sobre as tentativas de encontrar Gabriel.

O sucesso, contudo, veio no último dia 1º de junho. Por meio do nome da mãe adotiva de Gabriel, que se encontrava no verso da fotografia presenteada pela mãe biológica, Tomaz decidiu fazer novas buscas nas redes sociais. “Ele teve a ideia de procurar pela Vanda, né, aí ele viu várias Vandas, mas ele encontrou Vanda Ferreira e quando ele olhou no Facebook dela, estava o Gabriel”.

Imagem do reencontro virtual entre os irmãos
Legenda: Reprodução

No dia 2 de junho, eles fizeram a primeira videochamada, mas o reencontro presencial entre os gêmeos só aconteceu no dia do aniversário de 23 anos, no aeroporto de Uberlândia, em Minas Gerais, após a viagem surpresa de Tomaz. Uma experiência com o sentimento de renascimento, já que finalmente Tomaz e Gabriel dividirão a vida juntos. Maria do Socorro emociona-se ao trazer o sentimento de mãe para a realização do sonho do filho.

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores