Pantanal 32 anos: Como era o Brasil quando a original estreou e o que ela mudou na TV?

Exibida em 1990, pela extinta Rede Manchete, produção foi um sucesso de audiência na época. Refilmagem da TV Globo chega cercada de expectativa. Reunimos curiosidades e fatos que explicam o fascínio por essa história

Parte do elenco da nova versão:  Alanis Guillen (Juma Marruá), José Loreto (Tadeu), Marcos Palmeira (Zé Leôncio),  Juliana Paes (Maria Marruá), Jesuíta Barbosa (Jove)
Legenda: Parte do elenco da nova versão: Alanis Guillen (Juma Marruá), José Loreto (Tadeu), Marcos Palmeira (Zé Leôncio), Juliana Paes (Maria Marruá), Jesuíta Barbosa (Jove)
Foto: Divulgação/Globo

Um grande sucesso da TV retorna de cara nova. “Pantanal” estreia na segunda-feira (28) e chega com a missão de fazer jus à novela que impactou a teledramaturgia em 1990. A refilmagem traz de volta a natureza exuberante do Mato Grosso do Sul para contar essa história repleta de mistério e romance. 

A versão 2022 será escrita por Bruno Luperi, neto de Benedito Ruy Barbosa (autor da obra original). Da lista de personagens icônicos como José Leôncio, Velho do Rio e Muda, o espectador verá novamente o encanto de Juma Marruá (vivida antes por Cristiana Oliveira e agora por Alanis Guillen). 

"Pantanal" foi ao ar pela extinta TV Manchete entre 27 de março e 10 de dezembro de 1990. A produção trouxe às telinhas uma paisagem pouco conhecida dos brasileiros. 32 anos se passaram e enumeramos as semelhanças e diferenças da novela em relação ao presente. 

Brasil de 1990 

O mês que marcou a estreia de “Pantanal” é considerado, até hoje, fatídico para inúmeros brasileiros. Eleito com a promessa de “acabar com os marajás”, Fernando Collor implementou um plano econômico que, entre suas medidas, bloqueou as cadernetas de poupança.  

Quem tinha dinheiro no banco se viu em maus lençóis. Recentemente, o episódio ganhou documentário pela HBO (trailer abaixo). O filme revela a dor das famílias que sofreram os efeitos desta decisão. É nesse clima caótico que a história de Benedito Ruy Barbosa ganhou espaço na TV. 

Globo ameaçada 

À época, a TV Globo transmitia “Tieta” e seguia com ótimos números de audiência no dito “horário nobre”. A próxima novela da casa seria “Rainha da Sucata”. Ambientada em São Paulo, o tema de abertura trazia uma lambada de Sidney Magal (que não tinha nenhuma relação com a trama) e falava de uma sucateira (Regina Duarte) que acendia à elite financeira paulista. 

Diferente do aspecto urbano tão evidente em “Rainha da Sucata”, a Manchete investiu em cenas gravadas no meio da fauna e flora do sul-mato-grossense. Curiosamente, o roteiro da novela ficou engavetado na Globo por anos e tinha o título provisório de "Amor Pantaneiro”.  

Antigas e novas caras em Pantanal:

Legenda: Jove: Marcos Winter x Jesuíta Barbosa
Legenda: Zé Leôncio jovem: Paulo Gorgulho x Renato Góes
Legenda: Maria Marruá: Cássia Kis x Juliana Paes
Legenda: Zé Leôncio: Claudio Marzo x Marcos Palmeira

A disputa por audiência ganhou os holofotes. A emissora carioca chegou a esticar os episódios de “Rainha da Sucata” para concorrer no mesmo horário. Pairava a dúvida se o monopólio das novelas passaria de mãos, o que não aconteceu com tempo. Logo que “Pantanal” encerrou, a Globo trouxe Ruy Barbosa de volta. Em 1993, ele assinava o roteiro de “Renascer”, novela que abraçava o tema do campo na faixa das 18h. 

Tem cearense em ‘Pantanal’ 

Na trama de 1990, a história é dividida em duas fases (o que será mantido no remake). Os posseiros José Leôncio e seu pai Joventino chegam ao pantanal para trabalhar no rebanho de um boi selvagem (os marruás). Anos depois, o filho, que já está rico, vai até o Rio de Janeiro e acaba engravidando a personagem Madelaine.  

É na segunda parte da novela que Jove (fruto desse relacionamento) viaja ao pantanal para conhecer José Leôncio. Lá, o jovem da cidade conhece Juma Marruá (Cristiana Oliveira), que segundo relatos da população local tem o poder de se transformar em onça-pintada. 

Os atores cearenses Jesuíta Barbosa e Silvero Pereira marcam presença de destaque na produção. Jesuíta(nascido em Pernambuco e radicado no Ceará) será Jove na nova versão e promete entregar um personagem com novas camadas. Já Silvero, usou as redes sociais para comentar a alegria de interpretar Zaquieu.  

Remakes na TV

Nem só a famosa Hollywood vive dos ditos "remakes". A teledramaturgia brazuca também é chegada em refilmar novelas do passado. “Pantanal” é a nova aposta rolando no mercado e chega com as expectativas nas alturas. 

Em 70 anos de exibição dos folhetins brasileiros, alguns remakes conseguiram superar a façanha de superar a obra original. Outras, ficaram pelo caminho e não recuperaram a magia com os novos públicos. Abaixo, selecionamos casos de refilmagens que se saíram bem ou não na TV. 

Remakes que deram certo:

Legenda: A Viagem (1994)
Legenda: Mulheres de Areia (1993)
Legenda: Ti-Ti-Ti (2010)

Remakes que deram errado:

Legenda: Irmãos Coragem (1995)
Legenda: Pecado Capital (1998)
Legenda: Guerra dos Sexos (2012)

Ecologia 

“Pantanal” volta a TV em meio às queimadas que assolaram recentemente aquela região. Estima-se que o fogo foi responsável por matar 17 milhões de animais vertebrados em 2020. 26% do bioma foi devastado, o equivalente a cerca de quatro milhões de hectares. 

Em 1990, a novela chegou ao lar dos brasileiros em meio ao “Ano Internacional do Meio Ambiente”. A iniciativa antecipava os temas que seriam debatidos dois anos depois na ECO 92, Conferência Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro. Naquela ocasião, a telenovela foi retransmitida pela Manchete. 

 

 

 

 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados