Música, arte e sabor: conheça o charmoso polo gastronômico-cultural da Rua Antônio Augusto

Região abriga restaurantes, lojas, espaços para apresentações musicais e até galeria de arte

Alguns dos casarões localizados na Rua Antônio Augusto datam das décadas de 1950 e 1960
Legenda: Alguns dos casarões localizados na Rua Antônio Augusto datam das décadas de 1950 e 1960
Foto: Thiago Gadelha

Se você teve a oportunidade de passar pela Rua Antônio Augusto algum dia à noite, nos últimos meses, provavelmente notou uma movimentação diferente de pessoas, carros, estabelecimentos. É que a região, no bairro Meireles, lançou novas cores em tradicionais fachadas, de um ano para cá, configurando algo possível de se intitular como um polo cultural e gastronômico da cidade de Fortaleza.

Os empreendimentos abraçaram casarões antigos ali localizados, alguns cujas construções datam das décadas de 1950 e 1960, para apresentar uma proposta aconchegante a quem visita. Afinal, com dois anos de pandemia, quando o lar foi nosso principal refúgio, voltar-se para essa perspectiva na fase de ressocialização da transição é bastante perspicaz.

Reverenciar a memória arquitetônica da cidade, coisa rara em tempos de arranha-céus, é outra aposta interessante de quem chega ali. O Residencial Iracema, demolido em junho passado na mesma rua, não teve a mesma sorte. A edificação, da década de 1960, conservava um estilo modernista. Mas, sem tombamento, apesar das inúmeras tentativas de arquitetos e da classe artística da cidade, ruiu para dar espaço a um “novo empreendimento residencial”.

Dispostos a desenhar uma história diferente, Marina Araujo (d’O Chamego), César Sabino (do Bruta Flor), Marquinhos Ribeiro (do Hi-Fi 6) e Lara Viana (da Vila Mosquito, há mais tempo na região) dialogam com outros empreendedores daquela localidade para proporcionar experiências gastronômicas e culturais indispensáveis. Conheça as propostas:

> O Chamego

Em funcionamento desde 29 de janeiro de 2021 na Rua Antônio Augusto, o restaurante de comida brasileira tem uma culinária voltada para as raízes portuguesas, indígenas e africanas, sem deixar de celebrar o regional. A chef Marina Araujo, 31 anos, confirma que o espaço é usado para fortalecer o conceito de acolhimento, como uma casa de mãe.

Legenda: O Chamego
Foto: Davi Maia

“Acredito que ao deixar essas impressões nos nossos clientes com o nosso trabalho, vamos construindo aos poucos essa nova memória afetiva com esse endereço tão bonito e que preserva tantos os seus casarões. É um símbolo de resistência estar aqui, fazendo um trabalho único e ao mesmo tempo preservando a arquitetura e o clima de boemia, boa comida, arte e cultura, tudo num só lugar”, diz.

A chef admite que cada local fala a sua língua na região, mas ao final, todos conversam com uma proposta única: “fortalecer a cultura brasileira e nordestina, traduzindo esse desejo em uma boa cozinha, num bom ambiente com boas decorações e incentivos a outras linguagens de arte, como música e literatura”, enfatiza. 

Serviço

Endereço: R. Antônio Augusto, 770 - Meireles
Funcionamento: Quinta, de 12h às 16h e de 18h às 22h | Sexta, de 12h às 16h e de 18h às 00h | Sábado, de 12h às 00h | Domingo, de 12h às 16h
Mais informações: @ochamego 

> Bruta Flor

Três meses após a chegada d’O Chamego, a região recebeu o espaço cultural Bruta Flor. Embasado em três pilares - música, arte e sabor - o ambiente abriga uma galeria de arte, um restaurante, um bar, uma cafeteria e uma loja de discos, conforme explica o proprietário e produtor cultural César Sabino.

Legenda: Bruta Flor
Foto: César Sabino

“Na loja de discos, a gente tem vinil, CD, DVD, vitrolas novas e antigas. Temos algumas peças vintage. Dentro da galeria, trabalhamos com artistas locais, do Ceará, e de fora também, inclusive internacionais, em tela, gravura. O nosso carro-chefe é um acervo muito grande de arte popular, uma curadoria que é feita com artistas do Nordeste inteiro, principalmente ali da região do Cariri”, detalha.

O imóvel é alugado, e César manteve ao máximo a construção original. “É motivo de muito orgulho estar aqui dentro desse estabelecimento cultuando e cultivando a estrutura do local, reforçando a memória da arquitetura de Fortaleza de 50, 60 anos atrás. E também levantando essa bandeira da importância da cultura, da música e da arte”, resume.

Serviço

Endereço: R. Antônio Augusto, 806 - Meireles
Funcionamento: Quarta, quinta, sexta e sábado, de 12h às 23h | Domingo, de 12h às 16h
Mais informações: @obrutaflor 

> Hi-Fi 6

A uns 20 metros da rua Antônio Augusto, ergue-se a Vila Bachá - onde, no passado, já funcionou um polo calçadista, e, desde agosto de 2021, funciona o Hi-Fi 6. O negócio atual começou como loja on-line, na pandemia, e encontrou ali, na parceria com os estabelecimentos vizinhos, terreno fértil para se instalar.

Legenda: Hi-Fi 6
Foto: José Rosa Filho

“Somos uma loja de discos, artigos ligados à música, souvenir, camisetas e cervejas artesanais. Dentro desse panorama, a gente faz eventos. Temos nossa calçadinha e, aos sábados, colocamos um DJ para tocar. Aí fica aquela eterna dúvida, se somos uma loja de disco que vende cerveja ou uma loja de cerveja que vende disco”, brinca o sócio do espaço, Marquinhos Ribeiro, 44 anos.

O projeto valorizou a concepção de casa. “Temos sala, sofás, mesa. Queríamos algo que tirasse a frieza do comércio de varejo, e o escritório da nossa arquiteta e sócia ganhou até o prêmio do Instituto de Arquitetos daqui com o projeto da loja. Pensamos em algo menos frio e valorizamos mais espaços, inclusive uma calçada, que remete a outras épocas, interiores, negócios de bairro, apesar de estarmos no meio do Meireles”, reconhece Marquinhos.

Serviço

Endereço: Vila Bachá, 5 - Meireles.
Funcionamento: Quarta-feira, das 11h às 20h | Quinta, sexta e sábado, das 11h às 22h.
Mais informações: @hifi6discos

> Vila Mosquito

Veterano na região, o Vila Mosquito foi um dos primeiros a desbravar o atual polo, instalando-se na Antônio Augusto em junho de 2006. Aliás, foi a calmaria de 15 anos atrás que cativou os empresários, hoje bem acostumados com a vizinhança.

Legenda: Vila Mosquito

“A proposta do Vila Mosquito é ser um local agradável, tranquilo. Um restaurante onde as pessoas possam ouvir uma boa música, apreciar uma boa comida, tomar um ótimo vinho e se perder numa incrível conversa entre amigos numa casa avarandada sob um céu bonito... E essa rua tem esse ‘chama’ para bons momentos, noites agradáveis e memoráveis”, explica Lara Viana, 41 anos, da gerência.

Entre as características que a Vila procura zelar está o “ar” da Fortaleza de outras épocas, de casa de avó. E isso está presente na estrutura original do local, que foi mantida, no ladrilho hidráulico e nos banquinhos da calçada, super disputados. “Acho que nossa contribuição está no resgate de memórias afetivas de muitos clientes que por aqui andam e na construção de novas memórias. É muito comum, vez por outra, ouvir um suspiro de saudade de alguém quando senta no banquinho da nossa calçada”, lembra Lara.

Serviço

Endereço: R. Antônio Augusto, 786 - Meireles
Funcionamento: De quarta-feira a domingo, de 18h às 23h.
Mais informações: @vilamosquito

Vale ressaltar que, além dos locais citados nesta reportagem, a região abriga outros empreendimentos do ramo gastronômico e boêmio. Fica o convite para você percorrer a rua e ampliar as experiências dessa lista!


 
 
Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?