Depois de reduzir previsão, ministro fala em mais de 30 milhões de doses de vacina contra Covid

Marcelo Queiroga informou que está tentando junto a mais laboratórios conseguir adiantar o prazo de entrega de outras vacinas ao País

Marcelo Queiroga, novo ministro da Saúde
Legenda: "Precisamos nos organizar para fazer com que evitemos medidas extremas e consigamos garantir que as pessoas continuem trabalhando, ganhando seu salário e renda, fazendo que a economia funcione", disse o ministro da Saúde
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, após ter reduzido a previsão a quase metade, disse que estão garantidos mais de 30 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 no mês de abril. Além disso, destacou que, para aumentar a produção do imunizante, está sendo estudada a utilização de parques de produção de vacina animal no País.

Essas mais de 30 milhões de doses seriam da Fiocruz e do Instituto Butantan. No entanto, ele informou que está tentando junto a outros laboratórios conseguir adiantar o prazo de entrega de outras vacinas no País.

No dia 31 de março, entretanto, o ministro havia dito na Câmara dos Deputados que a previsão para o mês de abril seria distribuir 25,5 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. O quantitativo é quase a metade do previsto anteriormente, mas a pasta não havia dado detalhes do que mudaria.

No cronograma do Ministério da Saúde, atualizado em 19 de março, a previsão era de entregar 47,3 milhões de doses ao País.

Reunião

A declaração de Queiroga foi dada após reunião com a diretora da OPAS no Brasil, Socorro Gross, neste sábado (3). Na ocasião, foi anunciada uma parceria com a OMS/OPAS para aumentar a produção de vacina no País para atender a população e até para, futuramente, exportar.

Uma das frentes é verificar a possibilidade de produzir o imunizante em parques industriais de produzem vacinas em animais.

"Eu falei do parque de animais. Isso é interessante, mas carece de uma avaliação técnica. Isso não vai resolver o problema a curto prazo. Isso vai ajudar a médio prazo para o Brasil e também para outros países".

Queiroga disse também que as Forças Armadas irão auxiliar na vacinação através da logística ou auxiliando o corpo técnico. No entanto, não deu mais detalhes de como isso funcionaria.

Previsão

O ministro falou novamente sobre a meta de vacinar 1 milhão de pessoas por dia em abril. Ele disse que foi criada a secretaria de enfrentamento à Covid-19 para agilizar as medidas.

Ele continuou reforçando a importância das medidas sanitárias para o enfrentamento da Covid-19. Falou sobre a importância do uso de máscara e do distanciamento social. E também da ordem de não fazer lockdown.

"Precisamos nos organizar para fazer com que evitemos medidas extremas e consigamos garantir que as pessoas continuem trabalhando, ganhando seu salário e renda, fazendo que a economia funcione, deixando essas medidas extremas para outro caso. Evitar lockdown é a ordem, mas temos que fazer nosso dever de casa".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil