Shopee demite 50 funcionários no Brasil; empresa nega desgaste

Segundo a Shopee, que tem 1,5 mil funcionários atuantes em São Paulo, demissões foram por "rotatividade de pessoal"

Escrito por Redação,

Negócios
Mão segura celular em frente a um site aberto na página da Shopee.
Legenda: A Shopee começou a operar no Brasil em 2019.
Foto: Shutterstock

A plataforma de marketplace Shopee, de Cingapura, demitiu cerca de 50 funcionários no Brasil na última semana. Embora a quantidade represente só 3,3% do total de trabalhadores, visto que a empresa emprega 1,5 mil no País, os cortes refletem um agravamento da atividade econômica e alta de juros. Informações foram divulgadas pelo Estadão.

Para o periódico paulista, as demissões representam os "primeiros sinais de desgaste" da Shopee no Brasil — a plataforma de e-commerce chegou ao País em 2019 e opera em dois escritórios em São Paulo.

As demissões foram divulgadas pelo site Layoffs Brasil, que reúne informações sobre baixas, especialmente, em startups que atuam no território nacional.

Shopee alega 'rotatividade'

Procurada pelo Estadão, a Shopee alegou que as demissões se devem a um cenário de "rotatividade de pessoal" na companhia. "A Shopee continua crescendo no Brasil", garantiu, em nota, a empresa.

Além disso, a plataforma afirmou ao jornal ter mais de 100 vagas de trabalho em aberto nos dois escritórios da capital paulista e que mantém sua estratégia de negócios no País.

Desligamentos em escala global, de acordo com a Shopee, não afetam o mercado nacional, somente a operação nos países vizinhos, como Chile, México e Colômbia.

Fim do frete grátis

O Estadão apurou que, além das demissões internas, a Shopee desligou quase 100 prestadores de serviços temporários que atuavam em um centro de distribuição de Barueri, em São Paulo. Se tratavam de terceirizados da empresa RH GiGroup que, segundo o jornal, não tiveram seus contratos renovados.

"Um ex-prestador de serviço, que não quis se identificar, contou que o grupo foi informado de que toda a equipe seria internalizada, contudo, ao longo do último mês, o fim dos contratos foi anunciado sem a oferta de renovação", escreveu a Link, do Estadão. A Shopee foi questionada, também, sobre esse assunto, mas não quis comentar o caso.

De acordo com o jornal, as demissões no setor de distribuição podem ser consequência do fim do frete grátis, benefício que, embora atrativo para os clientes, não era sustentável.

Cupons de desconto

Para recuperar a clientela, a empresa asiática se prepara para lançar uma campanha em que promete distribuir cerca de R$ 6 milhões em cupons de desconto. Os benefícios serão liberados na semana de aniversário da plataforma, no início do próximo mês de julho.

Assuntos Relacionados