Prévia da inflação em Fortaleza, IPCA-15 sobe 0,86% em agosto e acumula alta de 11,3%

Dados do IBGE para o IPCA-15 apontaram nova alta de preços na capital cearense, movimentação que foi registrada em quase todos os segmentos da economia local

Legenda: O resultado para a variação de preços registrada em Fortaleza foi puxada, principalmente, pelos setores de vestuário (1,39%), transportes (1,37%), artigos de residência (1,22%), e despesas pessoais (1,10%)
Foto: Kid Junior

Os preços dos produtos em Fortaleza ficaram mais caros no começo de agosto. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), considerado como uma prévia da inflação, para a capital cearense, apresentou alta de 0,86 e se aproximou da média nacional, que ficou em 0,89%. 

O resultado para a variação de preços registrada em Fortaleza foi puxada, principalmente, pelos setores de vestuário (1,39%), transportes (1,37%), artigos de residência (1,22%), e despesas pessoais (1,10%). 

Contudo, praticamente todos os setores apresentaram altas, exceto a educação, que teve um índice de -0,42%. 

Os dados levantados pelo IBGE ainda apontam variações positivas para os itens de habitação (0,93%), alimentação e bebidas (0,79%), comunicação (0,6%), e saúde e cuidados pessoais (0,42%). 

Índice acumulado

Apesar de ter ficado abaixo da média nacional em agosto, o índice de preços em Fortaleza apresenta uma variação acumulada para o ano de 2021 e para os últimos 12 meses acima do que foi registrado para a soma das outras capitais avaliadas. 

Segundo o IBGE, em 2021, Fortaleza registra uma alta de preços de 7,21%, contra 5,81% do Brasil. Já para os 12 meses, o IPCA-15 da Capital é de 11,37%, contra 9,30% do País.

Curioso é que o valor acumulado de janeiro até agosto, considerando a média nacional, é o pior resultado desde 2015. 

Ranking mensal

Em relação ao ranking geral para o mês de agosto, Fortaleza ficou com o sexto pior desempenho, mas é a primeira capital abaixo da linha da média nacional. De acordo com o IBGE, apenas Goiânia, Curitiba, Brasília, Porto Alegre e São Paulo apresentaram um índice para o IPCA-15 maior do que Fortaleza. 

Contudo, a capital cearense ainda registrou uma variação superior às outras duas cidades no Nordeste que foram analisadas na pesquisa, superando Salvador e Recife. 

Confira o ranking nacional para o ICPA-15 de agosto

  1. Goiânia - 1,34%
  2. Curitiba - 1,18%
  3. Brasília - 1,05%
  4. Porto Alegre - 1,01%
  5. São Paulo - 0,96%
  6. Brasil - 0,89%
  7. Fortaleza - 0,86%
  8. Salvador - 0,85%
  9. Belém - 0,85% 
  10. Recife - 0,76%
  11. Rio de Janeiro - 0,67%
  12. Belo Horizonte - 0,40%
Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios