Presidente do PL pede demissão do presidente e diretoria do Banco do Nordeste

De acordo com Valdemar Costa Neto, motivo é um contrato de R$ 600 milhões que o banco mantém com uma ONG

Presidente do PL pede a demissão do presidente e da diretoria do BNB
Legenda: Presidente do PL pede a demissão do presidente e da diretoria do BNB
Foto: Reprodução

O presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto (PL-SP), publicou vídeo nesta segunda-feira (27) pedindo a destituição do presidente Romildo Rolim e de toda a diretoria do Banco do Nordeste (BNB).

Costa Neto afirmou que foi enviado um ofício ao ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e à ministra-chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, com o pedido.

Contrato com ONG

O motivo, de acordo com ele, seria um contrato de R$ 600 milhões da instituição financeira com uma ONG. Trata-se do Inec (Instituto Nordeste Cidadania), entidade parceira do BNB na operacionalização do Crediamigo e Agroamigo.

romildo carneiro, presidente do banco do nordeste
Legenda: Romildo Rolim, presidente do Banco do Nordeste
Foto: Divulgação/ Governo Federal

Ele afirmou ter recebido, com espanto, a informação em mensagem de WhatsApp do presidente da República, Jair Bolsonaro, na última sexta-feira (24). A indicação do presidente do BNB partiu do próprio PL, segundo Costa Neto afirma no vídeo.

Veja o vídeo

Contou ainda que chegou a entrar em contato com Romildo Rolim, que confirmou o contrato e afirmou que já existia há muitos anos. 

"Nós não podemos ter uma ONG contratada em um banco da importância do Banco do Nordeste", reiterou.

Fontes com trânsito no BNB relataram ao Diário do Nordeste que o Governo Federal já demandou que o banco encerre a relação com a ONG. Desagrada ao Governo o fato de a entidade ter no comando pessoas vinculadas ao Partido dos Trabalhadores (PT), ainda segundo fontes.

O Inec informou apenas que não vai comentar o assunto. 

O Diário do Nordeste entrou em contato com a Casa Civil e o Ministério da Economia para esclarecimentos e aguarda respostas.

Em nota, o Banco do Nordeste pontuou que o termo de parceria com o Inec existe desde 2003, quando teve início o processo de expansão do microcrédito produtivo e orientado do BNB e que a contratação está em conformidade com a legislação vigente. "O Inec presta o serviço de operacionalizar os programas de microcrédito do Banco do Nordeste", afirma.

Na nota, o BNB detalha que iniciou em 2019 estudos para reavaliar sua atuação no segmento de microcrédito contratando um banco de investimento para tal. O objetivo, de acordo com o Banco do Nordeste, era buscar melhor eficiência na atuação.

"No momento, o Banco está na fase de modelagem desta atuação, definindo os parâmetros dos serviços. Quando concluídos os estudos, e se aprovadas as propostas de alteração da atuação, estas serão oportunamente comunicadas ao mercado", diz o texto.

O BNB acrescenta que mudanças "que venham a ser implementadas sempre visarão as melhores condições de custo/benefício oferecidas para todos os stakeholders envolvidos, buscando elevar ainda mais eficiência e efetividade da atuação do Banco".

Permanência

Não é de hoje que a saída de Rolim do comando do banco vem sendo aventada. A previsão, com base na lei das estatais e no tempo de mandato dele à frente do BNB, era que ele saísse em agosto deste ano,

Um dispositivo no estatuto do banco, contudo, permite que a diretoria permaneça no exercício das funções até que haja novas nomeações e/ou reconduções de mandatos.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios