No 1º dia de reabertura, barracas recebem cerca de 20% da movimentação de um domingo normal

Por ser um segunda-feira, empresários não esperavam grande fluxo de clientes, segundo presidente da Associação dos Empresários da Praia do Futuro (AEPFuturo)

Fotogradia
Legenda: Movimentação na Praia do Futuro durante o primeiro dia de reabertura das barracas
Foto: Natinho Rodrigues

A movimentação de pessoas na Praia do Futuro neste primeiro dia de reabertura das barracas de praia foi tranquila. Segundo a presidente da Associação dos Empresários da Praia do Futuro (AEPFuturo), Fátima Queiroz, a ocupação gira em torno de 20% do esperado para um domingo normal.

Apesar do baixo volume de frequentadores, ela aponta que não esperavam uma grande movimentação por ainda ser início da semana. "As pessoas não têm a cultura de vir à Praia do Futuro durante a semana. E ficamos felizes de ver que quem está vindo está seguindo os cuidados necessários, chegando de máscara", afirma ela.

Fátima estima que a partir da quinta-feira é que haverá um número maior de clientes em função da tradicional Quinta do Caranguejo. "Apesar de não podermos abrir à noite, mas o nome Quinta do Caranguejo é forte. Acredito que teremos uma movimentação interessante durante o dia", aposta.

Ainda assim, o ponto alto da semana deverá continuar sendo o domingo, quando a associação espera em torno de 60 mil a 70 mil pessoas no local - cerca de 50% a menos no período anterior à pandemia, quando a praia chegava a receber 120 mil pessoas.

"Pelos dois últimos fins de semana, devemos ter um bom número de pessoas. A praia ficou lotada e, com a reabertura das barracas, as pessoas virão com mais conforto, mais tranquilidade", ressalta.

Adaptação

Apesar da projeção de um número considerável de pessoas no local, ela garante que não haverá aglomerações, tendo em vista a adaptação dos espaços e os diferentes perfis de público que frenquentam a Praia do Futuro.

"Nós organizamos os espaços dentro das medidas de segurança, desobstruímos as áreas de circulação para que as pessoas transitem mantendo o distanciamento. E temos públicos diferentes: tem aqueles que chegam cedinho e ficam até às 11h, tem aqueles que chegam às 11h e ficam até o meio da tarde, e aqueles que chegam às 14h e ficam o restante do dia todo, que agora só poderão ficar até às 16h", detalha.

A presidente da AEPFuturo ainda faz um apelo para que as pessoas sigam todas as medidas de segurança necessárias para manter a contaminação sob controle.

"Estamos felizes com a retomada, estamos cheios de esperança, e sabemos que houve um rigor por parte do poder público, mas era necessário. E não só nós empresarios e funcionários temos que atender às medidas, os clientes também. É um apela que a gente faz para que todo mundo cumpra as regras, para protegermos um ao outro e continuar com as baracas abertas".