Praias do Litoral Leste lotam no fim de semana; municípios têm alta taxa de transmissão de Covid-19

Aglomerações de banhistas foram registradas em localidades como Aquiraz, Beberibe e Cascavel - que somam 2.365 casos e 129 mortes por Covid-19

Legenda: Banhistas de todas as idades, com e sem máscaras de proteção, lotaram as areias do Litoral Leste, nesse domingo, a exemplo do que tem ocorrido na Capital
Foto: Fotos: Kid Junior

Já são quase 120 dias desde que o distanciamento físico virou decreto governamental no Ceará, para evitar a disseminação de um vírus extremamente transmissível e letal. A taxa ideal de 70% de isolamento, porém, nunca foi atingida - e aglomerações como as registradas ontem (12) na Prainha, em Aquiraz; em Morro Branco, Beberibe; e em Águas Belas, Cascavel; são dia a dia mais comuns. A quantidade de banhistas que lotaram as três praias não é contável, mas estes são alguns números oficiais sobre os municípios onde se localizam: 2.365 casos confirmados, 129 mortes e 1.067 infecções por Covid-19 em investigação.

Outros dígitos também são dignos de nota: atualmente, a taxa de transmissão (RT) do novo coronavírus em Aquiraz é de 1,17; seguida por Beberibe, com 1,16; e Cascavel, com 1,14. As três são consideradas altas, e mostram que um infectado pela Covid-19 pode transmitir a doença para mais de uma pessoa, aumentando a velocidade de disseminação.

Covid: Brasil registra 631 óbitos nas últimas 24h; total chega a 72,1 mil mortes

> Juazeiro se aproxima da marca de seis mil infectados pela Covid-19 com baixa taxa de recuperados

registro
Legenda: Aglomerações são vistas na Prainha
Foto: Kid Júnior

Os dados são do Integra SUS, plataforma da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Até as 17h56 de ontem, a Secretaria contabilizava 136.790 casos confirmados e 6.869 mortes pelo novo coronavírus no Ceará. Mais de 70 mil seguem em investigação, e 110.224 pacientes estão recuperados da virose.

Em Fortaleza, são 38.127 confirmações, 3.498 óbitos e 28.772 recuperações. Mais de 33 mil possíveis casos são investigados na Capital, conforme a Sesa. Na Região Metropolitana, o município de Aquiraz, onde fica uma das praias mais frequentadas do Estado, já soma 773 casos confirmados de Covid-19 - dos quais 25 evoluíram para óbito e 628, para recuperação. Outros 742 quadros suspeitos são investigados. A soma dos números poderia estimar a quantidade de banhistas, nativos ou oriundos da Capital, que circularam pela Prainha, nesse segundo domingo de julho.

Um deles, o eletrotécnico Epaminondas Rocha, estava acompanhado da família, mantendo distanciamento de outros frequentadores. "Passamos muito tempo em casa, fechados, e hoje resolvemos dar uma volta, mas prevenidos. Muita gente tá aí sem máscara. Ficamos mais afastados também, até pra apreciar melhor a vista. As barracas estão fechadas, nem dá pra ficar muito tempo, almoçar, comprar um refrigerante", observou Rocha.

O "estresse" do isolamento social também motivou o passeio do balconista Malvinher Pereira e de familiares às areias. "Nesses três meses, a gente estava doente mesmo é por não vir à praia, hoje lavou a alma. Ainda não é permitido, mas a gente forçou a barra e estamos aqui, mesmo improvisado. A gente passa álcool em gel nas mãos, faz uma limpeza legal, tira a máscara, dá um mergulho e depois bota de novo", descreve.

Durante o período em que esteve no local, a reportagem não flagrou nenhum tipo de fiscalização. Entretanto, conforme a Prefeitura de Aquiraz, ela é feita "todos os dias, e, no fim de semana, é intensificada nas praias". As patrulhas são realizadas pela Guarda Municipal, Departamento de Trânsito (Demutran) e Secretaria do Meio Ambiente. Ainda segundo a gestão, "houve registro de infração em algumas barracas de praia, e os proprietários foram notificados".

  

Barracas

Legenda: Segundo o documento, os restaurantes poderão funcionar das 6h às 23h, enquanto as barracas terão operação liberada entre as 9h e às 16h
Foto: Kid Júnior

O funcionamento de barracas de praia em Fortaleza e na Região Metropolitana só está liberado pelo Governo do Ceará a partir desta segunda-feira (13), segundo anúncio na última sexta (10). Mas em Beberibe, no Litoral Leste, um decreto municipal já autorizava a reabertura delas - além de "restaurantes, hotéis e similares" - desde o dia 6 de julho.

Segundo a Associação dos Barraqueiros da Praia de Morro Branco (Abamb), 11 dos 16 equipamentos voltaram a funcionar. Sérgio Guedes, presidente da Abamb, justifica que "nem todos os comerciantes abriram, porque não estavam preparados". "Há uma ansiedade muito grande do público em geral de vir à praia, estar de frente pata o mar, receber essa brisa. Mas as pessoas ainda estão muito cautelosas, e nós também. Que a retomada possa ser segura. Estamos cumprindo todo o protocolo, e desejamos que as coisas lentamente possam voltar ao normal, as pessoas possam ganhar confiança - num futuro breve, daqui a uns seis meses", calcula.

Em Beberibe, já são 497 casos confirmados e 26 mortes pela Covid-19. Outros 128 casos estão sendo investigados, enquanto 369 já se recuperaram da infecção. De acordo com Gessiane Oliveira, chefe de gabinete da Prefeitura do Município, são realizadas barreiras sanitárias diariamente por órgãos de saúde e de trânsito, desde o início da pandemia, "em pontos fixos, como na entrada da sede do município e dos distritos de praia e sertão, e nos estabelecimentos comerciais". Nenhum registro de aglomeração "de grandes proporções" foi, contudo, anotado. "Estão sendo feitas fiscalizações específicas para o setor de barracas de praia, restaurantes, hotéis e similares, para verificação de cumprimentos de todos os protocolos de segurança", pontua.

Outro ponto do Litoral Leste cearense bastante procurado por banhistas, mesmo durante a imposição do distanciamento físico, é a Praia de Águas Belas, localizada no município de Cascavel, também na Região Metropolitana de Fortaleza. Por lá, 1.098 pessoas já testaram positivo para a Covid-19, e 78 morreram em consequência da doença. O total de recuperados é de 936, e outros 197 casos seguem em investigação pela Sesa.

Jackson Lima, superintendente do Demutran da cidade, reconhece que pontos de aglomerações sempre são identificados, mas que "é feita uma abordagem educativa e orientação, uma vez que estamos vivenciando uma situação atípica, que requer paciência e entendimento". O trabalho de fiscalização é realizado com a Guarda Municipal e a Polícia Militar.

"Fiscalizamos as entradas das praias e os veículos que tendem a transitar pela orla. Por fim, também é fiscalizada a locação de casas de veraneio, que nesse momento não é permitida", informa. Quanto às barracas de praia, "as que foram identificadas descumprindo os decretos estadual e municipal receberam uma advertência por escrito, que no caso de reincidência, está passível de multa", frisa o superintendente.

Interiorização

Um dos maiores riscos do aumento da circulação de pessoas entre Fortaleza e outros municípios é a aceleração do chamado "efeito bumerangue", que consiste no trânsito da doença entre as localidades. O Comitê Científico de Combate ao Coronavírus no Nordeste já alertou para a possibilidade disto ocorrer no Ceará, em boletim divulgado neste mês.

A manutenção de barreiras sanitárias nas estradas é uma das medidas sugeridas pelo Comitê para frear o avanço da Covid-19 - da qual sete em cada dez casos (70,8%) já se concentram fora da Capital.