Negócios investem em aprendizado sobre crédito e aplicam melhorias nas empresas

Programa Jornada do Crédito do Sebrae apresenta aprendizados sobre finanças e como selecionar a forma mais adequada de crédito para a empresa

Escrito por Agência de Conteúdo DN,

Negócios
Legenda: Em geral, o crédito para empresas é investido em melhorias do negócio ou para capital de giro
Foto: Shutterstock

No momento de realizar uma solicitação de crédito para a empresa, é preciso compreender todas as questões envolvidas nesse processo. Prazo de carência, valor das parcelas, taxa de juros, e outros pontos que os empreendedores devem estudar para escolherem a opção mais adequada para seu negócio. A partir dessas informações, é possível traçar como aquele crédito será utilizado da melhor forma na empresa. 

De acordo com Gilberto Baltazar, administrador do Urubu Ecoparque, o período de fechamento devido à pandemia da Covid-19, que afetou toda a cadeia do turismo, fez com que a empresa tivesse que receber crédito para implantar melhorias de infraestrutura. Dessa forma, fez contato com diferentes instituições bancárias para linhas de crédito específicas para cada demanda. 

Enquanto parte do dinheiro arrecadado foi utilizado para capital de giro da empresa, outra parte foi aplicada na renovação do restaurante, em melhorias da estrutura predial e modernização da portaria. Além disso, Gilberto explica que também foi utilizada uma linha de crédito para implantação de energia solar dentro do ecoparque, como forma de reduzir o consumo e incentivar o uso de energias renováveis.  

Recentemente, Gilberto participou do Programa Jornada do Crédito, promovido pelo Sebrae/CE. Ele explica que, com a orientação e consultorias, conseguiu formalizar propostas mais sólidas para angariar as linhas de crédito. “Uma coisa é chegar com um projeto, com viabilidade técnica e financeira feita pelo Sebrae e isso dá mais consistência a uma solicitação de crédito em qualquer instituição.” 

Francisco Erivando de Vasconcelos, diretor da Servcon - Serviços de Contabilidade, também realizou o Jornada do Crédito e angariou informações sobre como funcionam os programas de crédito para conseguir auxiliar os clientes e enriquecer o portfólio da empresa. 

Apesar da empresa não necessitar de crédito no momento, Francisco Erivando não descarta essa possibilidade no futuro, o que será facilitado após a participação no programa Jornada do Crédito. “Iremos melhorar nossas ações de orientação aos nossos clientes, sem falar que conseguimos entender melhor como funcionam os processos de liberação de crédito, facilitando o acesso ao crédito para nossos clientes e, possivelmente, para nossa empresa.”

Uso de crédito

Em geral, os aportes de crédito para empresas podem ser utilizados de duas formas: para investimento dentro do negócio, como reformas, compra de equipamentos e outros, ou para capital de giro, ou seja, os pagamentos de salários e outras contas do dia a dia. É o que explica Silvio Moreira, analista técnico do Sebrae/CE. “Do ano passado pra cá, até por conta da pandemia, a grande busca dos pequenos negócios em todo o país, e não diferente no estado do Ceará, tem sido pelo crédito para capital de giro.”

O analista explica que o programa Jornada do Crédito, realizado em parceria do Sebrae com a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), é voltado para os pequenos negócios e busca atender uma das principais demandas dos empresários. O programa é uma trilha de conhecimento que envolve capacitações e consultorias que preparam os empreendedores para identificar as oportunidades de crédito dentro das possibilidades da empresa de cada participante. 

Parte das formações da Jornada do Crédito acontece on-line, como as capacitações, workshops e seminários, enquanto as consultorias individuais podem tanto ser realizadas de forma virtual ou presencial. O objetivo do Sebrae Ceará é atender 3360 microempresas e 300 empresas de pequeno porte (EPP).  

“O nosso objetivo é melhorar o nível de gestão financeira dessas empresas. Porque se ele melhora a gestão financeira, ele vai estar mais consciente com relação ao crédito que ele vai buscar. Vai ser mais assertivo na sua precificação, na sua formação de preço, no entendimento da necessidade do seu capital de giro. Ele vai estar fazendo um controle melhor das despesas e receitas”, analisa Silvio Moreira.

Segundo Vitória Brandão, a participação no programa Jornada do Crédito ajudou a mostrar as possibilidades de organização e crescimento da empresa. Apesar de já ter experiência nesse aspecto, a empresária explica que a consultoria auxiliou na simplificação do assunto. 

Conheça mais sobre o programa Jornada do Crédito