IPVA 2022 tem aumento de até 28% no Ceará; confira valores dos carros mais vendidos

A diferença de valor entre o imposto cobrado em 2021 e 2022 ultrapassa os R$ 570 em alguns modelos

Escrito por Heloisa Vasconcelos, heloisa.vasconcelos@svm.com.br

Negócios
carro cinza do modelo hb20
Legenda: O HB20 foi o modelo mais vendido que apresentou maior diferença no preço do imposto
Foto: Divulgação

A valorização dos seminovos tornou o IPVA mais caro para os cearenses. Comparando a tabela de preços para 2022 divulgada nesta terça-feira (28) pela Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) com o imposto cobrado neste ano, a diferença chega a até 28%. 

O levantamento foi realizado pelo Diário do Nordeste considerando o imposto referente aos veículos mais vendidos em 2020 no Ceará, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foram considerados os modelos do ano 2019, seminovos tanto para a tabela 2021 como para a 2022. 

Apesar de não ter havido aumento na alíquota cobrada, o aumento no valor venal dos veículos resultou na alta do imposto. A diferença de valor no imposto cobrado para um mesmo modelo ultrapassou os R$ 570, como é o caso do Jeep Renegade, modelo que inclusive ainda figura na lista dos mais vendidos deste ano.  

Mesmo sem mudança na alíquota, o aumento no valor venal do veículo subiu o imposto de R$ 2.936,46 em 2021 para R$ 3.512,88 no ano que vem. Um aumento de R$ 576,42, equivalente a 19,63%. 

O modelo com maior aumento no valor cobrado foi o Hyundai HB20, terceiro mais vendido deste ano no Ceará. A diferença entre um ano e outro para o modelo ano 2019 subiu 28,13%, de R$ 932,93 para R$ 1.195,33. 

Valorização dos seminovos 

2021 teve um fenômeno atípico de valorização de seminovos, que normalmente perdem valor ano após ano depois de saídos das concessionárias.  

O fechamento das montadoras em razão da pandemia e a falta de peças por problemas logísticos internacionais impactaram o estoque de carros novos no mercado, o que pressionou também o mercado de seminovos. 

Os modelos que tiveram maior valorização foram justamente os de fabricação mais recente, de 2019 e 2020. O aumento no valor do imposto já era previsto em simulação feita pelo Diário do Nordeste

Confira comparativo