Gol vai mudar de nome após parceria com Avianca? Entenda criação do Grupo Abra

Companhias prometem que passageiros serão beneficiados com menores tarifas e acesso a mais destinos

Escrito por Carolina Mesquita,

Negócios
Legenda: O objetivo do acordo é fazer da Gol e Avianca a base de uma malha pan-americana com "o menor custo unitário em seus respectivos mercados"
Foto: Thiago Gadelha

A Gol e a Avianca Holding anunciaram nesta quarta-feira (11) acordo que prevê a criação de uma terceira empresa, o Grupo Abra, que irá controlar ambas as brasileira e colombiana.

Saiba o que deve mudar com a transação

Segundo comunicado à imprensa emitido pelo Gol, "as companhias aéreas manterão suas marcas, equipes e cultura enquanto se beneficiam de maior eficiência e investimentos feitos pelo mesmo grupo controlador".

O objetivo do acordo é fazer da Gol e Avianca a base de uma malha pan-americana com "o menor custo unitário em seus respectivos mercados". Além disso, ainda haverá integração dos respectivos programas de fidelidade.

Como consequência, a promessa ainda é que os passageiros tenham acesso a melhores tarifas, a mais destinos, maior frequência de voos e conexões melhor sincronizadas.

"O Abra fornecerá uma plataforma para que as companhias aéreas operacionais reduzam ainda
mais os custos
, obtenham maiores economias de escala, continuem a operar uma frota de aeronaves de última geração, e expandam suas rotas, serviços, ofertas de produtos e programas de fidelidade", ressalta o comunicado.

O documento também indica que a solidez financeira do Grupo Abra deve garantir estabilidade e agilidade de longo prazo, permitindo investimentos consistentes e sustentáveis.

Além disso, investidores do Grupo se comprometeram em investir até US$ 350 milhões em ações após a conclusão do negócio, previsto para o segundo semestre de 2022 e ainda sujeito às condições regulatórias.

O Abra será controlado por executivos da Avianca e Gol. Confira os nomes indicados:

  • Chairman: Roberto Kriete transformou a TACA na principal companhia aérea da América Central na década de 1980, e fez a fusão com a colombiana Avianca Airlines em 2009. Ele também fundou, em 2006, a Volaris, principal companhia aérea mexicana
  • CEO: Constatino Oliveira Junior fundou a Gol em 2001, sendo pioneiro no modelo low cost na região
  • Co-presidentes: Adrian Neuhauser é atual presidente e CEO da Avianca; Richard Lark é atual CFO da Gol. Ambos manterão funções nas companhias aéreas

Kriete pontuou que o grupo pretende encarar e solucionar os atuais desafios do transporte aéreo e reforçou os benefícios que clientes, colaboradores e parceiros devem usufruir a partir do acordo.

"Nossa visão é criar um grupo de transporte aéreo que enderece os desafios do século 21 e aprimore as viagens aéreas para nossos clientes, colaboradores e parceiros, bem como para as comunidades em que operamos. Nossos clientes também poderão desfrutar de benefícios aprimorados de viagem e acesso a produtos e serviços superiores"
Roberto Kriete
Chairman do Grupo Abra

Já Constantino lembrou que a manobra deve colocar as companhias do Grupo na liderança da Região e proporcionar oportunidades de crescimento de capacidade e receita.

"Este acordo coloca as companhias aéreas do Grupo Abra em posição de liderança em viagens aéreas na América Latina. A estrutura corporativa única permitirá que cada companhia aérea gere resultados mantendo independentes suas marcas, equipes e cultura, e proporcione aos colaboradores mais oportunidades de crescimento pessoal e profissional em todas as fases de suas carreiras", explica.

Ele ainda detalhou que a área de atuação das aéreas compreende uma população de mais de 1 bilhão de pessoas e um PIB de quase US$ 3 trilhões.

O acordo ainda envolve as companhias Viva, atuante na Colômbia e Peru, e a Sky Airline, do Chile, ambas pertencentes à Avianca Holding.

Dessa forma, o Abra terá participação econômica não controladora nas operações da Viva e um investimento em dívida conversível representando uma participação minoritária na Sky Airline.