Corridas por aplicativo em Fortaleza ficam quase 40% mais caras em 4 anos; confira valores

A diferença foi encontrada a partir de pesquisa direta realizada pela reportagem

O cearense vem lidando com aumento generalizado de preços nos últimos meses. A forte inflação também chegou aos valores das corridas por aplicativo em Fortaleza e na Região Metropolitana, que em alguns casos ficaram quase 40% mais caras do que há quatro anos.

A reportagem do Diário do Nordeste resgatou algumas simulações diretas de preços realizadas em 2017 nas duas principais plataformas do segmento: Uber e 99.

Naquele ano, uma viagem entre a Praça da Gentilândia e a Rodoviária de Fortaleza custava cerca de R$ 7,86 com a Uber e R$ 6,10 com a 99. Atualmente, os preços são de R$ 10,98 e R$ 7,50 respectivamente, representando uma elevação de quase 40% no caso da primeira.

Alguém que precisasse se deslocar entre o Hospital do Coração, em Messejana, e a Praça Luíza Távora, na Aldeota, gastava R$ 21,04 se escolhesse a Uber em 2017 ou R$ 18,60 com a 99. Hoje, os preços são de R$ 20,97 e R$ 18, uma leve queda de 0,33% na Uber e leve alta de 1,07% na 99.

Para ir do Terminal do Siqueira para o Aeroporto de Uber, o passageiro gastaria R$ 17,69 em 2017 e R$ 16,20 com a 99, custo que passou para R$ 17,92 no primeiro caso e caiu para R$ 15,10 no segundo.

No levantamento mais atual, realizado nessa quarta-feira (27) diretamente nos aplicativos de transporte, a reportagem considerou os horários de 14h e 16h, sem registro de tarifa dinâmica.  

Região Metropolitana

Deslocamentos entre a Capital e outros municípios da Região Metropolitana também são comuns.

Uma quarta simulação de viagem entre A Praça da Igreja Matriz de Caucaia e a Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, revelou preço de R$ 27,26 pela Uber em 2017 e de R$ 30,90 pela 99.

Atualmente, esses valores estão em R$ 29,91 e R$ 21,80 respectivamente, configurando uma alta de 9,72% na Uber e queda de 29,44% na 99.

A última simulação de corrida é entre o Hospital Municipal João Elísio de Holanda, em Maracanaú, e a Arena Castelão, em Fortaleza.

Há quatro anos, o valor cobrado pelo deslocamento seria de R$ 27,37 com a Uber e de R$ 30,90 com a 99. A tarifa sofreu um aumento de 20,5% no primeiro caso e chegou a R$ 32,98 e uma queda de 15,8% no segundo, ficando em R$ 26.

Percepção da categoria

O motorista por aplicativo e membro da diretoria da Associação dos Motoristas de Aplicativos do Estado do Ceará (Amap-CE), Márcio Leite (52), relata que a concorrência é o principal motivo para a variação das tarifas.

Segundo ele, as empresas do setor focam essencialmente na disputa por clientes, uma vez que a oferta de motoristas é mais que suficiente para atender a demanda, o que acaba prejudicando esse elo da cadeia.

"Quando um motorista sai da plataforma, outros dez entram no lugar. É diferente de passageiro. Em Fortaleza, temos de oito a nove aplicativos, incluindo os dois grandes. Então, quando a concorrência baixa os preços, a Uber, por exemplo, também baixa para segurar os passageiros", explica.

O motorista critica, no entanto, a forma que essa política de preços é aplicada. De acordo com ele, ao baixar o valor de uma viagem, a empresa joga o prejuízo para os parceiros para proteger a própria margem de lucro.

Os ganhos dos motoristas caíram até mesmo na tarifa dinâmica. Isso porque antes era aplicado um multiplicador em cima do valor inicial da corrida, valor parcialmente repassado para os parceiros.

"Agora, eles definiram um valor fixo para a tarifa dinâmica. A gente ganha no máximo R$ 7 a mais"
Márcio Leite
Motorista de aplicativo e diretor da Amap-CE

A defasagem nos ganhos e o aumento de custos com a gasolina, por exemplo, fizeram muitos parceiros desistirem da atividade ou escolherem as corridas que vão aceitar, o que gera um tempo de espera maior para os passageiros e uma maior incidência de cancelamentos.

Tarifa de preços

Em nota, a 99 informa que suas tarifas são definidas a partir de uma equação que leva em conta, entre outros itens, distância percorrida, tempo, demanda e oferta no momento da solicitação da viagem.

Dessa forma, muitas variáveis podem alterar o panorama como chuva, acidentes, condições do trânsito, volume de passageiros e volume de motoristas na rota solicitada.

"Recentemente, considerando o impacto negativo do aumento dos combustíveis, a 99 reajustou os ganhos dos motoristas parceiros entre 10% e 25% nas mais de 1,6 mil cidades do Brasil onde opera. Boa parte  desse reajuste está sendo subsidiado pela plataforma, no sentido de manter o equilíbrio do negócio, oferecendo uma fonte de ganho para os motoristas parceiros e um meio de transporte financeiramente viável, seguro e eficiente para a população", ressalta o posicionamento.

A empresa ainda destaca que, antes de iniciar qualquer corrida, tanto passageiros como os motoristas parceiros têm a visibilidade de uma estimativa do valor da corrida.

Também em nota, a Uber pontua que opera um sistema de intermediação de viagens dinâmico e flexível que busca considerar as necessidades dos motoristas parceiros e, ao mesmo tempo, a realidade econômica dos consumidores que usam a plataforma.

A empresa explica que o valor que o usuário paga por uma viagem é proporcional ao tempo de viagem, distância, tipo de veículo, eventuais taxas cobradas pelo poder público, incidência ou não de preço dinâmico e aplicação ou não de promoções e descontos da Uber para os usuários.

"Portanto, eventuais alterações na regulação municipal podem impactar o preço das viagens ao longo do tempo, assim como o lançamento de novas modalidades de viagens criadas pela Uber como forma de constante inovação da plataforma, como Uber Comfort, Uber Promo e Uber Moto", detalha.

Sobre a tarifa dinâmica, a plataforma esclarece ser aplicada quando a demanda em uma determinada área é maior que o número de motoristas parceiros circulando na região naquele momento, de forma que o preço pode se tornar mais caro do que o habitual.

"O preço dinâmico é aplicado para incentivar que mais motoristas se conectem ao aplicativo e assim os usuários tenham um carro sempre que precisar. O preço dinâmico é temporário, por isso, a dica para os usuários é esperar alguns minutos antes de voltar a verificar o novo preço da viagem no app, porque ele é atualizado constantemente".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados