Cesta básica fica 23% mais cara em Fortaleza em 2020; veja itens que subiram de preço

Com o resultado, na comparação entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020, o valor da cesta básica teve um acréscimo de R$ 101,32.

A cesta básica fechou 2020 mais cara do que no ano passado em Fortaleza. Segundo relatório do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o conjunto da alimentação básica na capital cearense teve um aumento de 23,37% no preço.

Com o resultado, na comparação entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020, o valor da cesta básica teve um acréscimo de R$ 101,32.

Na análise semestral, analisando os dados de junho de 2020 e dezembro do mesmo ano, a cesta básica também ficou mais cara, registrando uma alta de 15,22%. No fim do primeiro semestre de 2020, o conjunto da alimentação básica, em Fortaleza, custava R$ 464,31.

Maiores impactos 

Durante os 12 meses de 2020, segundo o Dieese, as maiores altas registradas entre os itens da cesta ficaram para o  óleo (118,32%), o arroz (88,29%) e a farinha (50,51%). 

Já na variação semestral, os destaques ficaram para o óleo (89,27%), o arroz (54,92%) e a carne (21,92%). Contudo, o Dieese também apontou que o feijão (-8,94%) e a banana (-0,47%) ficaram mais baratos.  

Horas trabalhadas

Por conta do aumento dos preços dos alimentos, o trabalhador na capital cearense teve de despender mais tempo de trabalho par garantir a compra da cesta básica. 

Em dezembro de 2019, eram necessárias, para adquirir o conjunto de itens, 95h35min horas trabalhadas. Em junho de 2020, o número subiu para 97h45min. 

Já em dezembro de 2020, o trabalhador precisou de 112h37min. 

Confira a lista de alimentos e as variações durante o ano passado: 

  • Carne - 21,02%
  • Leite - 27,81%
  • Feijão - 28,67%
  • Arroz - 88,29%
  • Farinha - 50,51%
  • Tomate - 18,76%
  • Pão - 11,20%
  • Café - 6,38%
  • Banana - -0,47%
  • Açúcar - 18,43%
  • Óleo - 89,27%
  • Manteiga - 5,77%
Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios