Ceará gera 12,2 mil vagas de emprego em agosto; 5º melhor resultado do País

O número é resultado de 33,7 mil admissões contra 21,5 mil desligamentos no mês passado

Legenda: Apesar do resultado positivo em agosto - o melhor de 2020 -, no acumulado do ano, o Ceará ainda acumula perda de 25,6 mil vagas de trabalho formal
Foto: Agência Brasil

O Ceará gerou em agosto 12.220 vagas de emprego formal, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados divulgado na tarde de hoje (30) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. É segundo melhor resultado da região Nordeste (atrás de Pernambuco, com 12,7 mil vagas) e a quinta maior geração de vagas do País.

O número é resultado de 33,7 mil admissões contra 21,5 mil desligamentos em agosto.

Apesar do resultado positivo em agosto - o melhor de 2020 -, no acumulado do ano, o Ceará ainda amarga a perda de 25,6 mil vagas de trabalho formal, fruto de 215,1 mil admissões e 240,7 mil desligamentos de janeiro a agosto deste ano.

Em agosto de 2020, todas as Unidades da Federação registraram saldo de vagas positivo. Os destaques ficaram por conta de São Paulo (+64,5 mil vagas); Minas Gerais (+28,3 mil vagas) e Santa Catarina (+18,3 mil vagas).

Durante coletiva de divulgação dos dados, o ministro da Economia Paulo Guedes disse que a economia brasileira está se recuperando em "V". "O Brasil está voltando em 'V', apesar de pessimismo e apesar das críticas", disse, acrescentando que isso foi estimulado pelo auxílio emergencial.

Benefício emergencial

Ainda de acordo com os dados divulgados hoje pelo Ministério da Economia, o Ceará é o sétimo estado do País em quantidade de acordos para preservação de empregos no âmbito do Benefício Emergencial. De abril até setembro deste ano, foram realizados 847,2 mil acordos no Ceará.

Brasil

O mercado de trabalho formal brasileiro ganhou, em agosto de 2020, 249,3 mil vagas. No acumulado do ano, porém, houve perda de 849,3 mil postos de trabalho.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios