BDRs: tira-dúvidas sobre como investir em ações no exterior

Pessoas físicas agora têm como investir em BDRs (recibos depositários de ações, na sigla em inglês), ações de empresas de fora do país que têm o capital aberto, sem a necessidade de ter mais de R$ 1 milhão aplicado, como ocorria antes

Legenda: Objetivo é ampliar o mercado financeiro para quem deseja comprar e vender papéis
Foto: Agência Brasil

Pessoas físicas agora têm como investir em BDRs (recibos depositários de ações, na sigla em inglês), ações de empresas de fora do país que têm o capital aberto, sem a necessidade de ter mais de R$ 1 milhão aplicado, como ocorria antes. O "sinal verde" foi dado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para a B3, com o objetivo de ampliar o mercado financeiro para quem deseja comprar e vender papéis. Confira um tira-dúvidas sobre o BDRs com o consultor de investimentos Gustavo Farias.

1. Como funciona o investimento em BDRs?

R: Da mesma maneira que o investimento em ações, você abre conta em uma corretora, envia o dinheiro para lá e manda uma oferta de compra para a BDR desejada. Para que a oferta seja executada, precisa que haja vendedores naquele preço na hora do envio.

2. Investir no BDR de uma empresa é o mesmo que comprar ações dela?

R: Sim, é o mesmo, a diferença é que como as ações lá de fora são caras uma bdr é, geralmente, uma fração da ação. Por exemplo uma ação da Google custa 1600 dólares, mas aqui ela é negociada a 60 reais, isso acontece porque  1 ação da Google no brasil é uma fração de ação da ação no exterior.

3. A pessoas que investe em BDR recebe dividendos?

R: Sim, recebe dividendos normalmente, com um desconto de 5% de custos de envio do dinheiro dos Estados unidos para o Brasil. Entretanto, os dividendos lá fora são menores, pois não são obrigatórios, a Google por exemplo nunca pagou dividendos na vida, sempre reinvestindo todos os lucros em novos negócios.

4. BDRs são considerados investimentos de alto risco?

R: Todo investimento em ações, sejam brasileiras ou estrangeiras, é de alto risco, uma vez que uma empresa pode quebrar e suas ações irem a zero.

5. O investimento em BDR é em reais ou em moeda estrangeira?

R: O investimento em BDRs é feito em reais, mas o depositário responsável pela BDR converte automaticamente em dólares e compra ações equivalentes, logo é um investimento em dólar feito no Brasil e visualizado sempre em valores de moeda brasileira.

6. A variação do câmbio influencia o BDR? 

R: Sim. Caso o valor da ação não se altere em dólares, se o dólar subir 1% a ação sobe 1% em reais, porém a valorização de uma bdr sempre será a junção dos dois fatores: dólar + valorização da ação.

7. Como o risco de liquidez está relacionado aos BDRs? Como é feita a liquidez dele?

R: A liquidez é dada pelo formador de mercado. A bolsa brasileira ao trazer uma ação estrangeira ao Brasil faz um contrato com o agente depositário para que esse sempre faça ofertas de compra e de venda de acordo com os preços internacionais. Por isso, as BDRs sempre seguem as oscilações do mercado internacional e distorções só acontecem quando o formador de mercado está fora, normalmente quando a bolsa americana está fechada.

8. Como será a tributação?

R: A tributação das BDRs é de 15% sobre ganho de capital e 20% sobre os ganhos day-trade, igual às ações brasileiras. A diferença é que seus dividendos são tributados na forma de renda dentro do seu imposto de renda.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios