Balança comercial: CE tem déficit de US$ 143 mi em 2020

Em 2019, até abril, o Estado estava em situação contrária, com superávit

Legenda: Semimanufaturados de ferro e aço constituem o maior volume entre os itens exportados pelo Ceará
Foto: FOTO: NATINHO RODRIGUES

De janeiro a abril deste ano, o Ceará registrou um déficit na balança comercial de US$ 143,6 milhões. Ao todo, o Estado exportou US$ 682,2 milhões e importou US$ 825,8 milhões. No mesmo período do ano passado, o Estado havia registrado um superávit de US$ 67,8 milhões. O resultado refletiu a alta de 23,2% das importações e a queda de 7,4% das exportações cearenses. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

Os principais produtos exportados pelo Estado foram semimanufaturados de ferro e aço (US$ 340,4 milhões), motores e geradores elétricos (US$ 62,3 milhões) e calçados de plástico (US$ 51,7 milhões). Do lado das importações, os principais itens foram os óleos de petróleo (US$ 145,3 milhões), hulhas e combustíveis sólidos (US$ 104,0 milhões) e trigo e mistura de trigo (US$ 70,4 milhões).

Além da queda das compras externas do Ceará, o principal parceiro comercial do Estado, os Estados Unidos, responsável por US$ 232,5 milhões das exportações cearenses e por US$ 279,1 milhões das importações no ano, anunciou no último final de semana que irá proibir a entrada de viajantes estrangeiros provenientes do Brasil no país, em virtude do avanço do coronavírus na América Latina.

Desconforto diplomático

Para Ana Karina Frota, superintendente do Centro Internacional de Negócios do Ceará (CIN/CE), a medida não deverá impactar, pelo menos num primeiro momento, as relações comerciais com o Ceará. "Inicialmente é uma medida que não interfere na política comercial vigente", ela diz.

"Considero tal medida bem atrasada, visto que os Estados Unidos possuem mais casos de Covid que o Brasil. E o que pode acontecer é algum desconforto diplomático, além da degradação da imagem do Brasil em relação ao enfrentamento da pandemia".

Na comparação com os primeiros quatro meses do ano passado, as exportações cearenses para os Estados Unidos recuaram 26,8% e as importações avançaram 63,8%.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios