Luisa Mell confirma divórcio e diz ter sofrido violência médica: 'não consigo superar'

Apresentadora afirma que aceitou realizar um procedimento e quando acordou descobriu que o médico tinha feito outra intervenção sem a autorização dela

Luisa Mell
Legenda: Ela falou que está deprimida e "meio sem forças para brigar (na Justiça com o médico) no momento" e que está corrigindo as cicatrizes e queimaduras deixadas pela cirurgia
Foto: Reprodução/Instagram

A apresentadora Luisa Mell, 42, passa por momento difíceis em sua vida. Além de estar se separando do empresário Gilberto Zaborowsky, com quem ficou casada por dez anos, a ativista da causa animal contou ter sido vítima de violência médica em dezembro de 2020.

"Sofri uma violência médica e não consigo superar. Meu dermatologista me falou sobre um laser novo, disse: 'você não gosta de colocar nada para não ficar artificial, este é perfeito para você. Faço aqui no consultório, mas chamo um anestesista por segurança'", contou Mell ao portal Na Telinha.

Ela aceitou realizar o procedimento e quando acordou descobriu que o médico tinha feito outra intervenção sem a autorização dela.

"Ele disse: 'te dei de presente uma lipoaspiração nas axilas. Você tinha muita gordura, não dava'. Sim, ele fez uma cirurgia estética em mim sem minha autorização", relatou Luisa Mell.

Medida judicial

"Me senti violentada. Fora que eu não precisava. Amava meu corpo. Me deixou com cicatrizes, deformou minhas axilas e queimou também o meu pescoço. Iniciei terapia, comecei a tomar remédio, mas mesmo assim está muito difícil", afirmou a apresentadora, que, apesar de abalada com a situação, não tomou medida judicial alguma contra o médico.

"Não sei [se vou acionar a Justiça], advogado está tão caro, estou passando pela separação, tem um monte de outras coisas, essa pandemia, o meu instituto, mas eu estou tão magra, tão deprimida que não tenho condição de entrar numa cirurgia agora", explicou.

"Devo fazer nos próximos meses se eu melhorar. Estou meio sem forças para brigar no momento", afirmou, com a voz embargada, ao contar não ter se submetido a um procedimento para corrigir as cicatrizes e queimaduras deixadas pela cirurgia", complementou.