Klara Castanho recebe apoio de famosas após relatar gravidez causada por estupro

Maisa, Paolla Oliveira e Fernanda Paes Leme foram algumas que publicaram mensagens de solidariedade à atriz

Escrito por Redação,

Zoeira
Legenda: Da esquerda para a direita, Fernanda Paes Leme, Klara Castanho e Paolla Oliveira: apoio
Foto: Divulgação

A atriz Klara Castanho, 21, está entre os assuntos mais comentados nas redes sociais. No último sábado (25), ela publicou uma carta aberta relatando estupro, gravidez e a decisão de entregar o bebê para a adoção. Várias famosas prestaram solidariedade à artista.

Paolla Oliveira, que atuou com Klara na novela Amor à Vida, de 2013, escreveu no Twitter: "[...] Estarei sempre ao seu lado. [...] Sinta-se acolhida por tds q te respeitam. É o que importa sempre, focar no respeito, amor e na justiça ❤️".

A também atriz Fernanda Paes Leme, por sua vez, expressou indignação com o caso. "Klara, não há o que falar, não há o que pensar. [...] Você está se transformando numa mulher incrível e merece ser feliz. Fica bem. Estamos contigo ❤️".

Maisa completou o time de apoio à Klara. A atriz e apresentadora publicou: "Te amo para sempre. Estou com você".

A ex-BBB Pocah refletiu sobre a condição das mulheres em um post no Twitter: "eu queria ver essa movimentação toda quando um pai abandona um filho e deixa a mãe criar sozinha! Até pq isso também é abortar! Mas o peso pra mulher sempre vai ser maior".

Fabiana Karla, Isabella Fiorentino e as atletas do nado sincronizado, Bia e Branca Feres, foram outras que se juntaram à atriz.

Entenda o caso

Klara Castanho publicou uma carta aberta relatando ter sido vítima de estupro quando estava longe de familiares e amigos. A atriz relatou que engravidou e que entregou a criança direto para adoção. Em publicação no Instagram, compartilhou que não sabia sobre a própria gravidez. 

Após a violência sexual, Klara tomou a pílula do dia seguinte e tentou seguir a vida apesar do trauma. No entanto, após sentir muitas dores, foi ao médico e descobriu a gravidez em meio a uma tomografia

A atriz ainda sofreu violência médica depois a descoberta da gravidez. "Esse profissional me obrigou a ouvir o coração da criança, disse que 50% do DNA eram meus e que eu seria obrigada a amá-lo. Essa foi uma da série de violências que aconteceram comigo", disse. 

Assuntos Relacionados