Festival Concreto organiza atendimentos básicos de saúde para moradores de conjunto residencial

A iniciativa é gratuita e oferece aferição de pressão, aulas de ioga e palestras para a a população do Residencial José Euclides Ferreira Gomes, no Jangurussu. Por causa da pandemia, o evento não receberá o público externo no local

Foto festival
Legenda: Além da assistência médica, o “Concreto Vital” receberá palestras com psicólogos, abordando temáticas sensíveis à sociedade, como educação sexual e alimentação saudável
Foto: Jenyfer Souza

O Festival Concreto inicia a sua 7ª edição a partir desta sexta-feira (20), com demonstração plural de trabalhos de artistas locais, nacionais e internacionais espalhados pela cidade. Pela primeira vez, o evento realizará o “Concreto Vital”, que oferece serviços gratuitos voltados para a saúde da população do Residencial José Euclides Ferreira Gomes, localizado no bairro Jangurussu. Em decorrência da pandemia de Covid-19, o festival não receberá o público externo para evitar aglomerações.

A iniciativa é uma parceria com o Coletivo Rebento, grupo formado por médicos em defesa da ciência, da ética e do SUS, que se reuniram para o enfrentamento da pandemia. Durante os nove dias de evento, a programação contará com mutirão de exames para aferição de pressão, medição de glicemia, além de aulas de ioga. O projeto terá ainda uma Sala da Escuta, espaço destinado aos moradores do Residencial com atendimento de três psicólogos. Também serão distribuídas máscaras de proteção à Covid-19 e álcool em gel.   

Além da assistência médica, o “Concreto Vital” receberá palestras com psicólogos, abordando temáticas sensíveis à sociedade, como educação sexual e alimentação saudável.  

A preocupação do Festival Concreto com a saúde teve início antes do festival. Segundo o artista visual e curador do evento, Narcélio Grud, a ação já vem sendo desenvolvida há algum tempo com a comunidade, para que eles compreendam a interligação com a arte, e deve continuar após o evento. “A nossa intenção é poder gerar em um lugar que é desassistido, em um lugar que tem muita criança, uma efervescência de pessoas, que tem uma natureza criativa. Nós percebemos como as pessoas são criativas, empreendedoras, têm uma vida que a área nobre perdeu. A nossa intenção é potencializar essa vida que existe, essa criatividade, essa potência natural deles. Dar possibilidade para que eles mesmos andem com os seus próprios pés”, afirma. 

foto festival
Legenda: A preocupação do Festival Concreto com a saúde teve início antes do festival
Foto: Jenyfer Souza

A equipe de atendimento ficará responsável por possíveis encaminhamentos à Escola de Saúde Pública Paulo Marcelo Martins Rodrigues, instituição que atua em pesquisa, ensino e extensão. A parceria com o evento se estenderá mesmo após a data do festival.  

Arte no concreto 

Na sua sétima edição, o projeto já apresentou mais de 600 artistas. Utilizando-se do potencial arquitetônico da Capital, o Festival Concreto objetiva criar uma nova atmosfera para a cidade, por meio do grafite, mobiliário urbano, bazares, oficinas, palestras e festas.  

A proposta ganhou novos propósitos, promovendo o diálogo com culturas diversas e mostrando a arte urbana como possibilidade de transformação social, capaz de traçar novos caminhos.

Serviço 

Festival Concreto #7 
De 20 a 28 de novembro
Os locais ainda serão confirmados 
@festivalconcreto

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores