Caucaia passa a fazer parte do serviço de coleta em domicilio de leite materno do HGCC​

O serviço antes era ofertado apenas para a Capital

Legenda: Elen já é uma mãe doadora desde sua primeira gravidez, há quatro anos atrás. Desta vez, com a coleta domiciliar chegando a Caucaia, facilitou ainda mais a continuidade do gesto.
Foto: Thiago Freitas / Ascom HGCC

O serviço de coleta em domicilio de leite materno do Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC) ganhou expansão neste mês de novembro. Agora, além da Capital, também foi incorporada a área de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. A unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, tem o intuito de fortalecer os estoques de leite humano, que chegaram a sofrer queda em todo o Estado durante os primeiros meses de pandemia. 

De acordo com a coordenadora do Banco de Leite do HGCC, a ação de expansão partiu da percepção da grande demanda que vinha do município de Caucaia. "Nós observamos que tínhamos muitas ligações de Caucaia, de mães que queriam doar e nós não tínhamos essa coleta na cidade. Então nós começamos a estudar colocar o município na rota, exatamente por conta de muitas ligações", aponta. Como resultado dessas primeiras semanas de rota para a cidade metropolitana, a arrecadação de leite materno teve aumento de mais de 20%, segundo a coordenadora. 

A esteticista Elen Araújo, mãe de Elisa, de um mês, foi a primeira moradora de Caucaia a receber o motorista do HGCC em sua casa para recolher a doação. A jovem conta que já é uma mãe doadora desde sua primeira gravidez, há quatro anos. "Eu já fui doadora desde o Luan, quando eu tive ele, no terceiro e quarto dia já percebi uma produção muito excessiva, sofri muito com ingurgitamento, que é o peito empedrado pela grande quantidade de leite e ai foi quando pessoas comentaram comigo que eu tinha a possibilidade de doar", relembra. 

Desta vez, a sua cidade ser incluída no serviço coleta domiciliar facilitou nesse ato de solidariedade, e que gera conforto para a mãe. "Como a gente já conhecia o procedimento, a gente foi logo atrás de um banco de leite para doar. Meu esposo ligou, falou com o banco de leite do HGCC e fomos incluídos na rota. Quando retiro o leite para doar, fico mais aliviada", pontua Elen.  

Legenda: O banco de leite do HGCC funciona 24 horas por dia, e as rotas que dividiam as regionais de Fortaleza por grupo para cada dia da semana, agora tem a sexta-feira destinada para a cidade de Caucaia.
Foto: Thiago Freitas / Ascom HGCC

O banco de leite do HGCC funciona 24 horas por dia, mas para ampliar o atendimento teve que reestruturar a logística do serviço. As rotas que dividiam as regionais de Fortaleza por grupo para cada dia da semana, agora tem a sexta-feira destinada para a cidade de Caucaia.  As doações são destinadas a assistência de bebês prematuros internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) do HGCC, e de algumas unidades de saúde que o recebem o auxilio do HGCC, de acordo com Santana.

"A nossa demanda é muito grande ainda, a gente precisa aumentar. Se o questionamento for 'quanto precisa aumentar ainda?', a resposta é que a gente precisa aumentar mais de 50% o número de mães doadoras. Porque nós temos uma unidade neonatal grande, nós temos médio risco, temos canguru, e apesar de ter aumentado com Caucaia, a gente ainda precisa aumentar o número de doadores para termos um estoque confortável e atingir a meta de 100% dos bebês tomando só leite humano", destaca Rejane Santana.    

Benefícios da doação

Apesar de pouco comentada, a doação de leite materno trás benefícios tanto para quem recebe a doação quanto para quem mãe que faz a doação. "A mãe que doa tem a vantagem de dar ao próximo esse excesso de leito, esse excesso de leite que pode prejudicar ela, porque pode virar uma mastite, ela fica com a sensação de mama cheia, com leite pingando. Então, esse leito doado, além de favorecer a saúde dela, faz com que ela mantenha uma produção grande que beneficia também ao filho dela", explica a coordenadora. 

"Esse leite doado, ele salva vidas, porque se o bebê esta internado na unidade neonatal, hoje, em um hospital público, ele tem tudo o que precisa, tem médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, medicamentos, maquinário, mas o leite materno, esse que recebemos por doação, é importantíssimo para que ele recupere a sua saúde, diminui o tempo de internamento e evita uma serie de doenças", enfatiza.

Serviço

Para tirar dúvidas sobre amamentação e como fazer para doar leite materno, basta entrar em contato pelo telefone (85) 3101 5367. 
       

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores