Após 64 dias, cearense recebe alta de internação por Covid-19: “Ele é o nosso milagre”, diz filha

Paciente ficou internado no Hospital São José (HSJ) desde o dia 14 de dezembro

Empresário teve sequência de infecções devido à covid durante internação
Legenda: Empresário teve sequência de infecções devido à covid durante internação
Foto: José Leomar

O empresário cearense José Humberto Rabelo, de 65 anos, começou a sentir os primeiros sintomas da Covid-19 ainda no começo de dezembro, no dia 10. Coriza, dores no corpo e na cabeça fizeram com que a filha e enfermeira Lisandra Rabelo levasse o pai para a UPA da Messejana, mas logo retornou para casa. Contudo, apenas quatro dias depois, com sintomas mais agravados, José deu entrada no Hospital São José (HSJ), onde permaneceu e oscilou entre as alas de CTI, UTI e Enfermaria por 64 dias até esta terça-feira (16), quando recebeu alta. “Ele é o nosso milagre”, comemora a filha.

José precisou dar entrada na UTI após uma sequência de infecções, de acordo com uma das filhas, Tatiana Sales Rabelo. “Foram cinco infecções por bactéria e um fungo, sequelas da covid, pois estava altamente imunodeprimido. Após 15 dias de uti, ele teve grande melhora e foi novamente pra CTI e depois de outra semana, ele foi pra enfermaria, onde passou 3 dias e teve alta”, detalha a filha.

Diante de tantos percalços no tratamento de José, a família relata que também sofreu com as consequências emocionais da doença. “Foram dias de desespero, dias de dor, saudade, como nunca antes tínhamos passado. Em plena véspera de Natal e ano novo, nos unimos em oração constante na casa de nossos pais, com muita súplica e louvor a Deus. Passamos por muitos processos, principalmente a nossa mãe, esposa de Humberto, que sofreu muito e até foi acometida por uma amnésia durante o dia inteiro, depois de passar muitas noites e dias sem dormir e comer direito”, diz Tatiana.

Natal e Ano Novo fora de época

Durante as festas de fim de ano, José estava entubado. “Foi tudo muito triste. Mas a gente prometeu que assim que o nosso pai melhorar, nós vamos fazer um Natal e um Ano Novo pra ele”, comenta a filha Lisandra.

No entanto, a filha Tatiana reforça nunca ter perdido as esperanças na melhora do pai. “Chegamos na fase de esperar e confiar em Deus. Só Ele poderia nos ajudar neste momento. Durante este tempo, fomos muito ao hospital e participamos de várias tentativas da equipe médica de diminuir as sedações para que ele acordasse, todas frustradas, até que longe do nosso cuidado, lá na UTI, ele melhorou muito e conseguiram acordá-lo”. 

“Nós não perdemos a esperança em Deus, mesmo quando ouvimos por uma médica que se ele pegasse mais uma infecção, eles não saberiam mais o que fazer, pois já tinham usado todos os remédios possíveis e já tinham esgotado os recursos para salvar a vida do nosso pai e até mesmo quando pediram o parecer da equipe dos paliativos para ele, momento que nos assustamos muito, mas fomos muito bem assistidos pela equipe”, relembra a filha.

Cuidados em casa

Mesmo de alta, José será acompanhado pelo programa de atendimento domiciliar (PAD), com a equipe do HSJ. “Ao mínimo de esforço ele fica ainda cansado. Então, esse é o momento que a gente vai continuar com os cuidados em casa e restringindo visitas”, coloca Tatiana.

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores