Silvero Pereira faz tributo a Belchior interpretando clássicos do cantor e compositor cearense

Show virtual do ator, cantor e colunista do Diário do Nordeste acontece nesta sexta-feira (23), integrando a programação da mostra TendaLab

Legenda: No total, 11 canções de Belchior serão interpretadas por Silvero Pereira e a Banda Paralela
Foto: Levi Mori/Divulgação

Foi o pai de Silvero Pereira quem o introduziu na música. Ainda é bastante vívida na memória do ator cearense o senhor José Alves chegando em casa após as compras – sorriso nos olhos, LPs na mão, pronto para velejar entre as canções. Na vitrola, Luiz Gonzaga (1912-1989), Nelson Gonçalves (1919-1998) e Waldick Soriano (1933-2008).

Também havia as criações do conterrâneo Belchior (1946-2017), sendo este o que sempre chamou mais a atenção do menino, pelas histórias contadas em cada composição. “Anos mais tarde, já fazendo teatro, revisitei essa obra e fui percebendo nas canções dele, no timbre e na letra, a capacidade de fazer críticas sócio-políticas. Foi esse o aspecto artístico que mais me encantou e me fez ainda mais fã”, conta.

Essa aproximação tão acalorada rendeu frutos para além do fascínio em escutar o aclamado sobralense. Colunista do Diário do Nordeste, Silvero Pereira quis ir além e, nesta sexta-feira (23), traz ao público um panorama com algumas das músicas que mais o atravessam nesse desbravar afetuoso pelo cancioneiro de um dos maiores cantores e compositores do Brasil.

Legenda: “Na Hora do Almoço”, “Medo de Avião”, “Coração Selvagem” e “A Palo Seco” serão alguns dos sucessos revisitados no show
Foto: Levi Mori/Divulgação

Inédito, o show “Tributo a Belchior”, conduzido e co-dirigido por Silvero, acontece a partir das 19h, abrindo a programação da TendaLab: Mostra de Criatividade, Sustentabilidade e Formação Cultural. O evento – uma realização da Galpão Produções, com recursos da Lei Aldir Blanc – segue até domingo (25), em formato on-line e gratuito, por meio do canal do YouTube do Festival de Cinema de Vitória.

Na apresentação, Pereira estará acompanhado da Banda Paralela, formada especialmente para o momento, composta pelos capixabas Fepaschoal – responsável pelos arranjos –, Brunu Chico e Natália Arrivabene. No total, 11 canções tratarão de imergir o público em uma sonoridade constantemente revisitada e, na mesma medida, múltipla em emoções.

A alegria do encontro

“Na Hora do Almoço”, “Medo de Avião”, “Coração Selvagem” e “A Palo Seco” serão alguns dos sucessos interpretados pelo cearense. O encontro com a Banda Paralela foi muito especial, conta o artista. Silvero não conhecia os músicos, “entretanto, nos conectamos em um único ensaio e fizemos um processo muito emocionante”.

Uma vez travada a parceria, o show foi pensado em três das percepções de Silvero sobre a obra de Belchior: Político, Romântico e Popular. “Esse é um show-dramaturgia, feito pra curtir as canções, porém sendo necessário ouvir os recados dados em cada música”, explica. Entre as mensagens, está, por exemplo, “precisamos rejuvenescer”, presente em “Velha Roupa Colorida”.

“A apresentação é repleta de frases atemporais, mas acredito que ‘amar e mudar as coisas me interessa mais’ seja das mais importantes neste momento”, analisa o artista. “Belchior é um dos grandes gênios da música brasileira. Seu legado é ser atemporal. Escuto suas canções e parecem que foram escritas a partir das manchetes de ontem nesse país”.

Não sem motivo, Silvero traça também interessantes conexões de sua trajetória com a vida do homenageado – cuja partida, neste 2021, completa quatro anos. Ele diz ter “muito orgulho” de também ser um rapaz latino-americano, sem parentes importantes e vindo do interior, do município de Mombaça.

“Minha única expectativa é que esse show seja recebido com muito afeto, um abraço apertado em todos nós que estamos carentes de carinho, de respirar com calma e delicadeza”, torce.

Cumplicidade 

Além de interpretar as canções de Belchior, Silvero Pereira divide a direção do show com Lucia Caus e Vitor Lorenção. A intenção do trio na concepção do espetáculo é emocionar as pessoas por meio da música, da letra e do canto. “Lucia Caus, Vitor Lourenço e Fepaschoal se tornaram cúmplices num projeto cheio de amor pra oferecer”, sublinha.

Legenda: Silvero Pereira diz que a intenção do show é emocionar por meio da música, da letra e do canto
Foto: Levi Mori/Divulgação

Quando indagado sobre a pluralidade de linguagens que têm abraçado com ainda maior vigor – transitando entre cinema, teatro, televisão e música – a fala do artista cearense é direta. Tudo culmina na busca por horizontes que lancem a vida para a frente.

“Sou um inquieto, uma ‘bixa’ atrevida por natureza, que ama seu ofício e aprender sobre ele. A arte me é um processo de salvação e me sinto responsável em tentar atravessar o humano por meio dela”, dimensiona.

Serviço
Show virtual “Tributo a Belchior”, por Silvero Pereira e a Banda Paralela
Nesta sexta-feira (23), às 19h, no canal do YouTube do Festival de Cinema de Vitória. Gratuito

> Confira a programação completa da TendaLab: Mostra de Criatividade, Sustentabilidade e Formação Cultural

Dia 23/04 (sexta-feira)
14h:
Lançamento Revista Tenda
19h: Abertura Exposição Fotográfica Digital 
19h: Silvero Pereira e Banda Paralela “Tributo a Belchior”
20h: Zé Maholics  
21h: Mostra de Videoclipes - Dia Um

Dia 24/04 (sábado)
Revista Tenda
Exposição Fotográfica Digital 
19h:
Eloá Eler
20h: Mostra de Videoclipes - Dia Dois 

Dia 25/04 (domingo) 
Revista Tenda
Exposição Fotográfica Digital 
19h:
Juliano Gauche  
20h: Mostra de Videoclipes - Dia Três

Apresentações Musicais
Mostra de Videoclipes
Horário:
19 horas
Onde assistir: neste link

Revista Tenda
Onde acessar:
 neste link

Exposição Fotográfica Digital 
Onde acessar:
 neste link

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?